7 coisas que a YouTuber Inês Faria vai desvendar sobre os teus pais

Inês Faria é atriz, youtuber e, agora, também escritora. No seu primeiro livro, Coisas que os Teus Pais Não te Disseram!, conta o que aprendeu sobre os seus pais enquanto crescia. Em conversa com a Estante, revela as principais lições em discurso direto.

Os pais aprendem com os filhos

“Acho que há uma constante troca de conhecimento entre pais e filhos, e aprendemos em conjunto. Aqueles que se tornam os melhores pais foram aqueles que mais aprenderam com os filhos. Se calhar aprendemos muito mais com os pais (e sozinhos) mas também acredito que os filhos ensinem muito aos pais.”


Os pais não sabem tudo

“[Quando tinha 10-11 anos, os meus pais] não sabiam responder a muita coisa como, por exemplo, a questão da sexualidade. ‘Um dia, mais tarde, o pai ou a mãe explicam…’ Quando os porquês começam a ser mais do que aquilo que os pais nos sabem responder, cria-se uma ansiedade na criança: ‘Como é que a pessoa que sabe tudo e que é o meu porto de abrigo não sabe isto?’ Depois começamos a perceber que há muito mais para lá de tudo o que os nossos pais nos disseram.”


Os pais não te dizem que é preciso dinheiro para tudo

“O mais difícil [sobre ser adulta] é mesmo o dinheiro. É preciso dinheiro para tudo e parece que quando somos novos ninguém nos diz isso. Dizem-nos: ‘Vais viajar, ter uma casa, um carro.’ O que nos dizem é que, se tudo correr bem, isso vai acontecer. Mas não nos dizem que às vezes esforçamo-nos tanto e mesmo assim não temos o retorno, o dinheiro.”


3 PERGUNTAS A INÊS FARIA

Que conselhos darias hoje à Inês com 12, 13 anos?
Diria tanta coisa. Diria tudo o que escrevi no livro, porque [se soubesse estas coisas mais cedo] se calhar batia muito menos vezes com a cabeça e não ficava tão iludida. Diria que a vida não é uma bolha. E que – como os brasileiros dizem – “tem mais para lá” e não vale a pena perder tanto tempo com coisas irrelevantes.
Por vezes não damos importância aos avisos dos nossos pais. Só quando batemos com a cabeça é que percebemos que afinal os nossos pais tinham razão?
Os nossos pais disseram-nos muita coisas que, sem dúvida, estão certas e que na altura não ouvimos. Também falo disso no livro. Do género: não confies em toda a gente. “Como assim não confio em toda a gente? São todos meus amigos!” Eles avisaram-nos, nós é que não acreditámos porque, lá está, estávamos na nossa bolha.
Quando fores mãe tencionas revelar todas estas “coisas que os pais não te disseram” aos teus filhos?
Tenciono. Também por isso é que escrevi o livro. Vou tentar gerir as expectativas do meu filho ou filha da melhor maneira possível. Vou explicar tudo sem medos de que o meu filho possa vir a ficar deprimido. Os pais vendem uma coisa aos filhos e depois, quando eles percebem que essa realidade não existe, tornam-se crianças mais tristes. Isso não vai acontecer comigo, porque vou explicar ao meu filho como é a realidade desde pequeno. 

Os pais fazem tudo parecer tão simples

“Por mais que digam que é muito bonito viver o amor e uma cabana, a verdade é que hoje em dia não conseguimos alcançar a felicidade sem ter dinheiro. E o dinheiro gasta-se. Acho que não nos disseram isso desde novos. Antes de chegarmos a um objetivo temos obstáculos. Mas parece que não nos falam desses obstáculos, tudo parece tão simples.”


Os pais querem que sejas sempre o melhor

“Parece que nos venderam sempre que temos de ser melhores do que os outros e isso não nos ajuda a viver em comunidade. […] Acho que a nossa geração sofre tanta ansiedade e problemas de depressão porque nos foi incutido que temos de ser os melhores. Essa competição de ser melhor não é algo que me mova, não quero ser melhor do que os outros, quero ser a melhor versão de mim própria.”


Os pais pensam que as filhas são umas princesinhas

“[Para os pais] as meninas são as princesinhas. E acho que esta coisa de ser a princesinha que não falha, que é linda, que é a melhor, a princesa da Disney, é um peso tão grande. Acho que isso se deve muito ao que os nossos pais nos disseram – não àquilo que eles não nos disseram.”


Os pais podiam não dizer certas coisas

“Há coisas que podiam nem sequer ser ditas. Por exemplo: ‘Vais encontrar o amor da tua vida. Vais gostar tanto daquele menino.’ Mais valia não nos dizerem nada. Se com o meu primeiro namorado não fosse com nenhuma expectativa, se calhar teria sido diferente. Mas não, ouvi que a princesa fica com o príncipe, que o amor é perfeito e que a minha mãe está com o meu pai há não sei quantos anos.”

Por: Tatiana Trilho

Gostou? Partilhe este artigo: