À Lupa: Vhils

VHILS em papel

É uma viagem por ruas, muros, edifícios abandonados e salas de exposições. alexandre Farto anda a correr o mundo e a levar o nome de Portugal colado ao seu pseudónimo: Vhils.

Está escrito em inglês para levar o trabalho dele a todo o mundo. Alexandre Farto aka Vhils nasceu em Lisboa em 1987 e foi na capital portuguesa que começou a pintar muros de ruas e comboios da margem sul do rio Tejo, com apenas 13 anos. Terminou os
estudos em 2008 na University of the Arts, em Londres, e agora, seis anos depois, há centenas de caras esculpidas por ele em
muros e edifícios de todo o mundo. Em 2011 desenvolveu uma técnica com uso de explosivos, grafi te, restos de cartazes e até retratos feitos com metal enferrujado. Da ilustração ao desenho à mão livre, Vhils é mais do que um artista de grafitti porque das paredes onde não há nada surgem caras com a expressão de um retrato, mesmo que sejam esculpidas entre tabiques, tijolo e reboco. E a sua obra já está espalhada por cidades como Londres, Moscovo, Bogotá e Nova Iorque.

 

vhils_web_1

Ao olhar de VHILS, as paredes tornam-se um objeto que procura significado: é nelas que esculpe olhares.

vhils_page1_1

 

 

Gostou? Partilhe este artigo: