Uma viagem ao ritmo do tango

A Estante leva-te numa viagem literária que atravessa o Atlântico. O país do tango, das empanadas e do futebol recebe-nos agora através dos livros. Bem-vindo à Argentina!

Sabias que o nome deste país tem origem na expressão latina “argentum”, que significa “prata”? Os exploradores europeus que chegaram no século XVI ao sul do continente americano acreditavam que ali se poderia encontrar uma montanha feita deste metal precioso. Se é mito ou verdade, ainda havemos de descobrir. Certo é que a Argentina já enriqueceu o mundo literário com grandes escritores e obras que podem ser consideradas verdadeiras joias.


Um escritor 

Julio Cortázar

Considerado um dos autores mais criativos e inovadores do seu tempo, Julio Cortázar marcou a literatura argentina e mundial do último século. Não só os personagens das suas histórias são imaginativos ao ponto de criar uma leitura altamente imersiva como foi um inventor-mor de estruturas e formatos narrativos complexos. A sua obra é composta por várias coletâneas de contos, como Bestiário, As Armas Secretas e A Volta ao Dia em 80 Mundos, e ainda por alguns romances, sendo O Jogo do Mundo – Rayuela o mais icónico.


Um livro de ficção

O Túnel

O amor, o medo e a morte são os grandes protagonistas deste romance existencialista de Ernesto Sabato. A única novela escrita por este autor argentino leva-nos a uma reflexão sobre a alma humana e os impulsos que nos fazem agir de determinadas maneiras. O amor obsessivo que leva Juan Pablo Castel a matar a sua amada é o mote perfeito para que o leitor reconheça os medos, sonhos e ilusões que conduzem a sua própria vida.


Um livro de contos

Ficções

A literatura argentina está fortemente marcada por grandes contistas, dos quais se destaca inevitavelmente Jorge Luis Borges. No ano em que se assinala o 30.º aniversário da sua morte, não poderíamos deixar de o incluir numa viagem literária pelo seu país-natal. Com uma escrita complexa mas cativante, as suas histórias misturam realidade e fantasia em verdadeiros labirintos de palavras. Esta coletânea reúne alguns dos seus melhores contos, entre os quais “Pierre Menard, Autor do Quixote”, “As Ruínas Circulares” e “A Biblioteca de Babel”.


Um clássico contemporâneo

A Invenção de Morel

“Não me parece uma imprecisão ou uma hipérbole classificá-lo como perfeito.” Quem o diz é Jorge Luis Borges, que considerava A Invenção de Morel uma das melhores obras da literatura contemporânea argentina. Adolfo Bioy Casares rompe com vários cânones literários, misturando realidade e ficção num único romance, e acrescentando-lhe pormenores de mistério e fantasia. Esta é a história de um homem condenado a prisão perpétua que, ao fugir da cadeia, relata a sua vida (real ou imaginária) passada a sós numa ilha.


Uma inspiração 

A Morte de Carlos Gardel

As figuras que marcaram a História da Argentina fizeram-se ouvir do outro lado do Atlântico. Um dos mais reconhecidos escritores portugueses, António Lobo Antunes, deixou-se inspirar pela melodia melancólica e dolorosa do tango argentino cantado pelo grande ícone musical deste país, Carlos Gardel. Ligando o tango à realidade lisboeta, Lobo Antunes constrói uma história de amor, tristezas e falhanços, assombrada pelo mundo nefasto mas tentador da toxicodependência.


Um destino 

Mi Buenos Aires Querido

Um dos mais célebres tangos popularizados por Carlos Gardel, “Mi Buenos Aires Querido”, poderia ser a banda sonora oficial desta nossa jornada. Mais uma vez, as letras e a voz deste cantor serviram de inspiração, passando da música para a literatura. Através deste livro, Ernesto Schoo leva-nos numa viagem apaixonante pela capital argentina, mostrando-nos os mais belos e encantadores recantos da cidade que o viu nascer e onde viria também a morrer.


Por: Andreia Vaz

Gostou? Partilhe este artigo: