5 teorias sobre como vai terminar A Guerra dos Tronos

guerra-dos-tronos-revista-estante-fnac

Reza a lenda que George R. R. Martin terá dito aos seus editores que, no final de A Guerra dos Tronos, restariam apenas Jon Snow, Daenerys, Tyrion, Arya e Bran. Não acreditas? Então fica a conhecer outras teorias que correm entre os fãs da saga mais popular do momento.

Aviso: O texto que se segue contém spoilers da série televisiva A Guerra dos Tronos, bem como da saga literária As Crónicas de Gelo e Fogo. Poderá inclusive conter spoilers da história futura, na eventualidade de alguma das teorias indicadas se revelar verdadeira.

Tyrion Lannister e Sansa Stark conquistam o trono

Por esta altura já toda a gente sabe que a Guerra das Rosas foi a principal fonte de inspiração de George R. R. Martin para escrever A Guerra dos Tronos – isto se excluirmos as suas tartarugas de estimação, é claro. Não será, por isso, de estranhar que muitos fãs da saga acreditem que a história terminará tal como a Guerra das Rosas.

Disputada entre 1455 e 1487, a Guerra das Rosas foi uma luta acesa pelo trono de Inglaterra, contestada entre as casas de Lancaster e York. Terminou com a interferência de Henrique Tudor que, apesar de estar vagamente relacionado com os Lancaster, optou por casar com uma mulher dos York, unindo no processo as duas casas.

Também é assim que muitos fãs de A Guerra dos Tronos acreditam que terminará a saga, mas se os olhos do mundo parecem atualmente postos em Jon Snow e Daenerys, há quem acredite que um casal muito diferente reinará antes dos créditos finais: Tyrion Lannister e Sansa Stark – que até já são casados.

Para isto acontecer, basta que aconteça algo “mau” a Cersei, Jon, Daenerys e eventualmente Jaime. E nem se pode dizer que os livros não nos tenham avisado. Logo no primeiro volume, Tyrion é descrito erguendo-se “alto como um rei” (a propósito da sua sombra) e Sansa é-nos apresentada como “uma senhora nobre [que] um dia seria uma rainha”.

Os Targaryen voltam a dominar Westeros

Como nos explica George R. R. Martin em Sangue e Fogo, Aegon Targaryen foi o responsável pela união dos Sete Reinos e pela construção do Trono de Ferro. Fê-lo depois de aterrar na foz da Torrente da Água Negra acompanhado pelas duas irmãs (e esposas), Visenya e Rhaenys, e por três gigantescos e ameaçadores dragões.

George R. R. Martin deixou o aviso de que esta história poderia esconder pistas importantes para o final da série e, de facto, existe a teoria de que os eventos se poderão repetir com outros três familiares Targaryen: Daenerys, Jon Snow e… Tyrion Lannister.

Claro que esta ideia se baseia na suspeita de que Tyrion é, na verdade, um Targaryen. E de que a mais recente transformação do dragão Viserion não será permanente. Poderemos vir a assistir a um reinado a três ou seria um final demasiado feliz para George R. R. Martin?

Cersei Lannister é assassinada por um dos irmãos

Curiosamente, nenhuma das muitas teorias sobre o final de A Guerra dos Tronos que circulam pela Internet parecem apontar para a preservação do trono por parte de Cersei, a atual rainha. Na verdade, o prognóstico mais popular é de que a viúva de Robert Baratheon não sobreviverá durante muito mais tempo. O debate está em como irá morrer.

Em criança, Cersei consultou-se com Maggy, a Rã, uma bruxa que lhe leu o futuro. Esta disse-lhe que nunca casaria com um príncipe, que casaria antes com um rei, algo que se veio a confirmar. Disse-lhe também que Cersei seria rainha apenas “até chegar uma outra, mais nova e mais bela, para vos derrubar e roubar tudo aquilo que vos for querido”. E, nos livros (mas não na série televisiva), continuou: “Quando as lágrimas vos afogarem, o valonqar enrolará as mãos na vossa pálida garganta branca e estrangular-vos-á até vos roubar a vida.”

De acordo com a Septã Saranella, “valonqar” significa “irmão mais novo” em alto valiriano. E, como Cersei acredita que a vidente se refere a Tyrion, passa a detestá-lo ainda mais. Mas, a acreditar na teoria de que esta profecia se cumprirá, Tyrion pode não ser o único assassino provável da rainha. É que, embora sejam gémeos, Jaime nasceu depois de Cersei, o que tecnicamente faz dele o seu irmão mais novo. E se Arya Stark assassinar Jaime, não poderá roubar-lhe a cara para matar de seguida Cersei? É uma possibilidade.

A culpa é toda de Bran Stark

A teoria mais insistente sobre o final de A Guerra dos Tronos é a de que o responsável por tudo o que temos acompanhado se chama Bran Stark. Tudo porque o quarto filho de Ned Stark e Catelyn Tully tem capacidades paranormais que fazem dele o poderoso Corvo de Três Olhos, capaz de observar e até interferir com o passado e o futuro.

Isto significa que pode ter sido Bran a enlouquecer Aerys Targaryen, também conhecido como “Rei Louco”, ação que acabou por desencadear toda a história que conhecemos. Recorde-se que, nos seus derradeiros dias antes de ser trespassado pela espada de Jaime Lannister, Aerys repetia incessantemente a ordem “Queimem-nos a todos!” – estaria a referir-se aos Caminhantes Brancos que, por alguma razão, lhe eram mostrados por Bran?

Mas e se o próprio Bran for o líder dos Caminhantes Brancos, ou seja, o Rei da Noite? É uma possibilidade muito debatida: Bran volta atrás no tempo para encarnar o homem que haveria de se tornar o monstro na esperança de impedir a sua transformação às mãos das Crianças da Floresta. Mas falha. (Claro que esta teoria envolve um certo paradoxo temporal.)

Existe ainda a teoria de que Bran é, na verdade, todos os Brandon da sua linhagem, incluindo o homem que construiu a Muralha. Bem como a (algo preguiçosa) teoria de que Bran continua em coma depois de ter sido empurrado por Jaime, em Winterfell, e que as histórias que acompanhamos desde então são apenas as lendas que a sua velha ama lhe vai contando.

Alguma destas teorias se confirmará verdadeira? Se sim, o mais certo é que, no final, o trono pertença a quem Bran Stark quiser.

Jon Snow mata Daenerys para salvar Westeros

Esta é uma daquelas teorias que garantiria o desfecho agridoce que George R. R. Martin tanto apregoa que vai acontecer. A premissa é a lenda de Azor Ahai, um guerreiro que forjou uma espada – a “Luminífera” – que lhe permitiu livrar o reino das forças das trevas. De acordo com uma profecia algumas vezes lembrada por Melisandre, este herói está destinado a regressar para salvar uma vez mais o mundo da escuridão. É o “Príncipe que Foi Prometido”.

Muitos fãs da saga acreditam que Jon Snow representa a prometida reencarnação de Azor Ahai e está destinado a derrotar o Rei da Noite e os Caminhantes Brancos com a sua espada Longclaw, feita de aço valiriano. Acontece que, para desencadear o poder total da sua arma, Azor Ahai teve de a mergulhar no sangue da sua amada mulher, sacrificando-a no processo. Significa isto que Jon Snow terá de assassinar Daenerys para salvar Westeros dos Caminhantes Brancos?

Por: Tiago Matos

Gostou? Partilhe este artigo: