Prepara-te para o regresso de Stranger Things com estes livros

stranger-things-revista-estante-fnac

És fã de Stranger ThingsFica a saber que a experiência só está realmente completa se, nos intervalos entre episódios e temporadas, leres os livros da série – bem como os que a fazem lembrar.


Mentes-Inquietas-Stranger-Things

Edição em inglês:
Suspicious Minds

Stranger Things: Mentes Inquietas

Gwenda Bond

Sabes quem é Terry Ives? Se gostas realmente de Stranger Things devias saber. Mas não te preocupes se não for o caso, pois podes descobrir tudo sobre a estranha vida desta empregada de mesa em Mentes Inquietas, o primeiro romance baseado na popular série da Netflix, passado entre a década de 1960 e 1970. Uma pista: Terry Ives é mãe de uma certa rapariga com poderes telecinéticos e um apetite colossal por Eggos. Diz-te alguma coisa?


Edição em inglês:
Darkness on the Edge of Town

Stranger Things: Nova Iorque Sobre Trevas

Adam Christopher

Se já te perguntaste o que terá levado Jim Hopper a ser como é, não vais querer perder este livro. Darkness on the Edge of Town, o segundo romance baseado em Stranger Things, funciona na verdade como um policial hard boiled à antiga – ou não se passasse no verão de 1977, uma altura em que Hopper trabalhava como detetive em Nova Iorque e foi encarregado de investigar uma sucessão de homicídios brutais.


stranger-things-outro-lado
Edição em inglês:
The Other Side

Stranger Things: O Outro Lado

Jody Houser e Stefano Martino

A primeira temporada de Stranger Things tem como foco o desaparecimento de Will Byers. Ao longo de oito episódios acompanhamos as aventuras de alguns dos residentes de Hawkins, Indiana, enquanto tentam perceber o que lhe aconteceu. Durante este período, e com a exceção de algumas cenas, nunca chegamos, contudo, a perceber como passava Will os seus dias no Mundo Invertido. Esta novela gráfica dá-nos a conhecer precisamente isso.


Notes-From-the-Upside-Down

Notes From the Upside Down

Guy Adams

Alguém pediu um guia não oficial de Stranger Things? Foi o que Guy Adams preparou em Notes From the Upside Down, um livro em que explica o que levou à criação da série mas que também deixa algumas dicas bastante divertidas, como uma playlist especial repleta de músicas dos anos 80 ou a lista de livros de Stephen King que deves ler para perceberes todas as referências escondidas pelos irmãos Duffer.

SE GOSTAS DE STRANGER THINGS, TAMBÉM VAIS GOSTAR DE…

Edição em inglês:
It

A Coisa

Stephen King

Já o referimos noutras ocasiões mas a verdade é que não há mesmo melhor opção de leitura relacionada para quem gosta de Stranger Things do que este clássico de Stephen King, recentemente traduzido para português e publicado em dois volumes (Livro 1 e Livro 2). Não só foi este o livro que inspirou os irmãos Duffer a criar a série como a sua narrativa envolve um grupo de jovens assombrados por uma terrível criatura – um Pennywise em vez de um Demogorgon.


 Something-Wicked-This-Way-Comes

Something Wicked This Way Comes

Ray Bradbury

Também neste clássico de Ray Bradbury uma entidade estranha – o Sr. Dark, líder de um circo ambulante – assombra as vidas de dois adolescentes. E talvez as suas intenções sejam ainda mais sinistras do que as do Demogorgon de Stranger Things, visto que o Sr. Dark não os quer devorar mas sim torná-los escravos para sempre no seu circo de horrores.


 Paper-Girls-Livro-1

Paper Girls

Brian K. Vaughan e Cliff Chiang

Esta multipremiada série de banda desenhada de Brian K. Vaughan, ilustrada por Cliff Chiang, tem um mood muito semelhante ao de Stranger Things. Também decorre nos anos 80. Também envolve a invasão de uma raça de alienígenas. E também é protagonizada por um grupo de adolescentes que procura descobrir a verdade. A única diferença é que, neste caso, todas as protagonistas são raparigas – e não é claro que alguma adore Eggos.


 life is strange

Life is Strange

Emma Vieceli, Claudia Leonardi e Andrea Izzo

Life is Strange, o jogo, foi lançado em 2015 e rapidamente captou a atenção do público com a história de uma jovem que descobre o poder de “rebobinar” o tempo sempre que quer. As escolhas que os jogadores fazem influenciam o desenrolar da narrativa, mas um final em concreto (“Sacrifice Arcadia Bay”) inspirou Emma Vieceli a escrever esta série de banda desenhada, imaginando o que aconteceria aos personagens após os eventos em aventuras que nos trazem à memória os primeiros tempos de Eleven pós-laboratório.

Por: Tiago Matos

Gostou? Partilhe este artigo: