Salvem a Terra! 7 autores em defesa do ambiente

dia-ambiente-revista-estante-fnac

Em que mundo viveremos no futuro se não combatermos, desde já, as alterações climáticas? Conhece os autores que respondem a essa questão através dos livros.

Poluição, desflorestação, aquecimento global, degelo, extinção de espécies. Alertar para problemas como estes – que, eventualmente, poderão levar à destruição do planeta Terra – não tem sido uma tarefa exclusiva de organizações ambientais e de líderes políticos. A literatura tem desempenhado um papel importante através de autores como Margaret Atwood, Michael Crichton ou Ian McEwan.

As suas narrativas e personagens não só expressam preocupações pessoais em relação à forma como vivemos hoje em dia, como ajudam a projetar um futuro marcado pela escassez ou até mesmo extinção dos recursos e das espécies. Queres ajudá-los a salvar o planeta?

Orix-e-Crex-O-Ultimo-Homem

Margaret Atwood

A opressão feminina e a violação dos direitos humanos podem ser temas muito presentes nas suas obras, mas as ameaças ambientais não merecem menor destaque. Aliás, a autora canadiana tem toda uma trilogia dedicada a esta temática. MaddAddam, composta por três volumes – Órix e Crex – O Último Homem (2003), O Ano do Dilúvio (2009) e MaddAddam (2013) -, dá-nos a conhecer um planeta que, como consequência da intervenção humana, vê parte da sua população ser dizimada e fica política e ambientalmente à beira do caos.

Estado-de-Panico

Michael Crichton

O autor de Parque Jurássico revela-nos, em Estado de Pânico, um lado diferente da problemática do aquecimento global, mostrando que o mundo poderá vir a ser dominado por ecoterroristas e que, no limite, a espécie humana poderá ser a mais suscetível ao fenómeno da extinção. Neste livro, que mistura ciência e suspense, Michael Crichton leva-nos até Islândia, Antártida, Paris, Los Angeles, ilhas de Salomão e, entre muitos outros destinos, ao deserto do Arizona.

Solar

Ian McEwan

Questões ambientais reais misturadas com ficção científica. É esta a natureza de Solar, romance protagonizado por um cientista que acredita firmemente que a solução para salvar o planeta está na energia do Sol. Não será, no entanto, nada fácil descobri-la. Além de oferecer mais conhecimento ao leitor sobre o atual estado de saúde da Terra, McEwan explora as fraquezas humanas no domínio ambiental e alerta para as consequências das mesmas num futuro não tao longínquo assim.

 

day of the triffids

John Wyndham

O primeiro grande êxito do autor britânico, publicado em 1951, é hoje considerado um clássico da ficção científica. É também uma obra que, já nessa altura, demonstrava uma clara preocupação ambiental – o jornal The Times até a enalteceu por incluir “toda a realidade de um pesadelo vívido”. The Day of the Triffids conta a história de Bill Masen, um jovem que, certa noite, por ter os olhos feridos e tapados por ligaduras, foi incapaz de assistir à mais espetacular chuva de meteoros alguma vez vista no Reino Unido. Foi também, por isso, uma das únicas pessoas que, no dia seguinte, ainda tinha a visão intacta. Nesse mundo pós-apocalíptico, Bill é também forçado a sobreviver às triffids, um novo tipo de plantas que prolifera pelo mundo. Em pleno clima de Guerra Fria, Wyndham criou este cenário, antecipando uma guerra biológica e a destruição do planeta.

K Limite.indd

Franz Schätzing

Conhecido pelos romances de ficção científica, o escritor alemão tem várias vezes abordado os problemas que ameaçam a integridade da Terra. Em O Quinto Dia, livro com mais de 3,5 milhões de exemplares vendidos só na Europa, um grupo de cientistas investiga acontecimentos bizarros nas profundezas dos oceanos. A teoria é a de que a intervenção humana terá, ao longo dos anos, desequilibrado o ecossistema global e ameaçado formas de vida, pelo que agora o mar estará à procura de vingança. Já na obra Limite, Schätzing avança até maio de 2025, altura em que tem início uma batalha pelos recursos energéticos da Terra. As ambições petrolíferas e de domínio espacial ditam o tom tumultuoso da história.

 

Red-Mars

Kim Stanley-Robinson

Se existe uma componente sempre presente nos livros deste americano é, definitivamente, a ecológica. O seu mais conhecido trabalho é a trilogia Marte – composta pelos volumes Red Mars, Green Mars e Blue Mars – que acompanha os avanços científicos, tecnológicos e sociais feitos no planeta Marte, enquanto a Terra é assolada por desastres ambientais e pelo excesso de população (o que leva ao esgotamento dos seus recursos naturais e energéticos). Deste autor, há ainda que ter em atenção o livro 2312, que faz uma projeção do nosso futuro: nesse ano, segundo Stanley-Robinson, a Terra já estará esgotada e, graças aos avanços tecnológicos, são criados novos habitats noutras regiões do sistema solar.

Memory-of-Water

Emmi Itäranta

A autora finlandesa, que já mereceu comparações a Margaret Atwood, estreou-se com o romance Memory of Water. A história, passada no futuro, é focada numa jovem mulher, Noria Kaitio, que segue as pisadas do seu pai para se tornar mestre na confeção de chá. No seu 17.º aniversário, é-lhe confiado o segredo de uma nascente de água escondida perto da sua vila, cuja preservação é garantida pela sua família há várias gerações. Dar continuidade a essa missão não será fácil, especialmente tendo em conta que vive num mundo onde a água é bastante escassa – devido ao aquecimento global.


Por: Carolina Morais

Gostou? Partilhe este artigo: