Qing-Li: “O shinrin-yoku é como uma ponte entre nós e o mundo natural”

qing-li-revista-estante-fnac

Qing-Li, autor de Shinrin-Yoku: A Arte Japonesa da Terapia da Floresta, defende uma aproximação à natureza e explica quais são os benefícios para a saúde.

1507-1-14

 

Os 5 principais benefícios do shinrin-yoku

  1. Sugere um efeito preventivo contra bactérias, vírus e tumores
  2. Apresenta efeitos relaxantes
  3. Pode reduzir a pressão arterial, o ritmo cardíaco e o stresse
  4. Pode reduzir sintomas de ansiedade, depressão, irritação, fadiga e confusão
  5. Pode aumentar o nível de adiponectina, uma hormona que, em baixa concentração, está relacionada com doenças como a obesidade ou diabetes tipo 2

 

Quais são os princípios fundamentais do shinrin-yoku?

Investigadores no Japão tentaram encontrar nas florestas efeitos preventivos contra doenças relacionadas com o nosso estilo de vida e propuseram um novo conceito chamado “banho de floresta” – em japonês, shinrin-yoku. Shinrin, em japonês, significa “floresta” e yoku significa “banho”. Por isso, shinrin-yoku significa absorver a floresta através dos nossos sentidos. Não se trata de fazer exercícios, escalada ou corrida. Trata-se simplesmente de estarmos na natureza, de nos conectarmos a ela através da visão, audição, paladar, olfato e tato. O shinrin-yoku é como uma ponte: ao abrirmos os nossos sentidos, criamos uma ligação entre nós e o mundo natural.

As pessoas podem desfrutar do ambiente de floresta através dos cinco sentidos:

  • Visão: cenário de floresta; cores verde, amarela e vermelha.
  • Olfato: fragrância das árvores.
  • Audição: sons da floresta; canções de pássaros.
  • Tato: tocar em árvores.
  • Paladar: comer alimentos e frutas das florestas; saborear o ar fresco.

A atmosfera calma, o cenário lindo, o clima ameno, o cheiro e o ar fresco das florestas contribuem para esses efeitos. No entanto, o aroma que emana das árvores é o que provoca mais efeito.

Se pudesse escolher os cinco principais benefícios do shinrin-yoku, quais seriam?

  • O shinrin-yoku pode aumentar a atividade e o número das células exterminadoras naturais, bem como os níveis intracelulares de proteínas anticancro. Sugere um efeito preventivo contra cancros. As células exterminadoras naturais são células imunitárias e desempenham um papel importante na defesa contra bactérias, vírus e tumores.
  • O shinrin-yoku pode reduzir a pressão arterial, o ritmo cardíaco, o stresse e hormonas do stresse, o que pode conduzir a um efeito preventivo contra a hipertensão e doenças cardiovasculares.
  • O shinrin-yoku pode aumentar a atividade do nervo parassimpático e reduzir a atividade do nervo simpático, apresentando efeitos psicologicamente relaxantes.
  • O shinrin-yoku pode aumentar os níveis de adiponectina, hormona especificamente produzida pelo tecido adiposo. Estudos mostraram que menores concentrações de adiponectina no sangue estão associadas a vários distúrbios metabólicos, incluindo obesidade ou diabetes tipo 2.
  • O shinrin-yoku também pode reduzir sintomas de ansiedade, depressão, irritação, fadiga e confusão, e aumentar a energia.

“O shinrin-yoku é uma medicina preventiva.”


Li-Qing2

É possível que alguém que viva na cidade, longe de espaços verdes, insira esta abordagem no seu dia a dia?

As pessoas que vivem na cidade também podem desfrutar do shinrin-yoku ao visitarem parques. Segundo a minha pesquisa, andar em parques citadinos durante cerca de duas horas também pode ajudar a reduzir sintomas de ansiedade, depressão, irritação, fadiga e confusão, além de aumentar a energia.

No Japão, apenas 62 florestas estão aptas para a prática de shinrin-yoku. Que características são necessárias?

No Japão, floresta é um termo usado para referir um terreno com uma cobertura de árvores de mais de 30% e uma área superior a 0,3 hectares. As árvores devem ter uma altura mínima de 5 metros e uma largura superior a 20 metros. As florestas incluem ciprestes, cedros, faias, carvalhos e bétulas brancas japoneses, entre outros. Uma floresta adequada à prática de shinrin-yoku deve ainda cumprir os seguintes critérios:

  • Encostas suaves;
  • Caminhos largos;
  • Trilhos bem definidos e conservados;
  • Livre de poluição;
  • Longe do barulho do trânsito;
  • Riacho, cascata ou lago;
  • Grande variedade de plantas;
  • Boa luminosidade;
  • Pelo menos 5 quilómetros de comprimento;
  • Abundância de árvores;
  • Guias, terapeutas ou guardas florestais;
  • Casas de banho.

Existe uma explicação genética para a nossa ligação à natureza?

Sim. A seguinte tese da biofilia pode ser uma explicação:

O conceito de que os humanos têm uma necessidade biológica de se ligarem à natureza é chamado de biofilia. Vem do grego e significa “amor pela vida e pelo mundo vivo”. O conceito foi popularizado pelo biólogo americano E. O. Wilson em 1984. Ele acreditava que, uma vez que evoluímos na natureza, temos uma necessidade biológica de nos ligarmos a ela. Adoramos a natureza porque aprendemos a amar as coisas que nos ajudaram a sobreviver. Sentimo-nos confortáveis na natureza porque foi onde vivemos durante a maior parte do nosso tempo na Terra. Estamos geneticamente determinados a amar o mundo natural. Está no nosso ADN.

De facto, os resultados na minha pesquisa confirmam e suportam a hipótese da biofilia. Mostram, por exemplo, que a ligação à natureza através do shinrin-yoku pode:

  • Reduzir a pressão arterial;
  • Reduzir o stresse;
  • Melhorar a saúde cardiovascular e metabólica;
  • Reduzir o nível de açúcar no sangue;
  • Melhorar a concentração e memória;
  • Combater a depressão;
  • Aumentar a energia;
  • Reforçar o sistema imunitário através do aumento do número de células exterminadoras naturais;
  • Aumentar a produção de proteínas anticancro;
  • Ajudar a perder peso.

Pode a prática de shinrin-yoku substituir, de alguma forma, a toma de medicação?

Não. O shinrin-yoku é uma medicina preventiva.


 

Gostou? Partilhe este artigo: