Philip Pullman: o multipremiado autor de Mundos Paralelos está de regresso

 

Philip Pullman

Naturalidade
Norwich, Inglaterra

Data de nascimento
19 de outubro de 1946

Primeiro livro publicado
The Haunted Storm (1972)

 

 

 

 

 

 

1507-1

Os Reinos do Norte

 

1507-1-2

 

A Torre dos Anjos

1507-1-3

O Telescópio de Âmbar

 

1507-1-4

O Livro do Pó

 

 

 

philip-pullman-estante-fnac

O Livro do Pó. É este o nome da nova trilogia de Philip Pullman, uma prequela da sua série de fantasia mais conhecida, Mundos Paralelos. Queres conhecer melhor este multipremiado autor?

Nascido em Inglaterra, Philip Pullman passou a infância em viagem, ou não pertencesse o seu pai à Força Aérea Real, sendo obrigado a alternar constantemente entre Inglaterra, Austrália, Zimbabué e outros países. Será até de supor se não terá sido toda esta movimentação a responsável por levar o autor a interessar-se pelo tema de mundos paralelos.

Curiosamente, Pullman não nasceu com o bichinho da escrita. Começou a escrever rotineiramente apenas quando já era professor: pegava em clássicos como Odisseia e A Ilíada e contava-os aos alunos nas suas próprias versões. “As grandes histórias têm mais de três mil anos”, chegou a dizer, referindo-se “aos mitos gregos, aos contos de fadas, aos contos populares”. Também se costumava queixar da exagerada ênfase dada a testes quando o mais importante para qualquer jovem é ter tempo. Para ler, por exemplo.

Eventualmente, deu por encerrada a missão de professor e concentrou-se na escrita das suas próprias histórias. Para isso muito contribuiu o seu fascínio pelo sobrenatural. “Gosto do irracional. Gosto de fantasmas. Eles ajudam-me a escrever.” Aliás, um dos seus livros favoritos pertence a esse mesmo universo – The Secret Commonwealth, de Robert Kirk, explora a vida por detrás do empirismo, falando-nos de fadas, bruxas e fantasmas.

Digamos que Philip Pullman é um homem de crenças. Por vezes, até contraditórias: diz não acreditar em Deus, mas acredita em magia. E ela existe, pelo menos nos seus livros.


“Há três coisas que me inspiram. Primeira: dinheiro; faço isso para viver, se não escrever bem, não vou ganhar o suficiente para pagar as contas. Segunda: o desejo de deixar uma marca no mundo. E terceira: o prazer do artesanato; o infinito prazer de construir coisas, no meu caso, histórias.”

Philip Pullman

Foi há 18 anos que Philip Pullman deixou os seus fãs na expetativa de um novo livro, depois do sucesso que alcançou com a primeira trilogia, Mundos Paralelos. A espera terminou em 2017, quando o autor anunciou o lançamento do primeiro livro de uma nova trilogia, O Livro do Pó, que serve de prequela à primeira. Aproveita para ficares a conhecer, em maior detalhe, as obras deste autor.

Mundos Paralelos

Imagina que através de uma janela poderias tão facilmente atravessar para um mundo paralelo como ver o que se passa lá fora. É isto que acontece na trilogia Mundos Paralelos.

Toda a narrativa é desenvolvida em torno de duas personagens: Lyra e Will, oriundos de mundos distintos. Will viaja até ao mundo de Lyra, um mundo muito parecido com o nosso, mas mais antigo. Um mundo onde os humanos têm um daemon – uma espécie de génio em forma de animal, que é a manifestação da própria alma.

Ao longo dos três livros da saga – Os Reinos do NorteA Torre dos Anjos e O Telescópio de Âmbar – acompanhamos a passagem destes personagens da infância para a adolescência, ao mesmo tempo que acompanhamos um conflito entre crença e ceticismo.

O Livro do Pó – La Belle Sauvage

Philip Pullman inspirou-se no mundo paralelo de Lyra para construir O Livro do Pó, uma prequela da história já conhecida de Mundos Paralelos. Nas palavras do autor, “é uma história diferente, mas há cenários que os leitores vão reconhecer e personagens que já encontraram antes”. Sabe-se ainda que o enredo recua à infância Lyra, continuando a acompanhá-la até ao início dos eventos da saga original.


“As histórias entretêm e ensinam, ajudam a apreciar a vida e a enriquecê-la. Depois da comida, casa e companhia, as histórias são a coisa que mais precisamos no mundo.”

Philip Pullman

As obras de Philip Pullman são um sucesso irrefutável, e há prémios que o provam. Em 2008 foi considerado pelo jornal The Times como um dos “50 maiores escritores britânicos desde 1945”. Antes disso, foi reconhecido com o prémio Lancashire Children’s Book of the Year, com o Guardian Prize e com o Prémio Memorial Astrid Lindgren.

Mas o seu reconhecimento vai muito além dos prémios. Várias das suas obras foram adaptadas ao grande ecrã. A trilogia Mundos Paralelos deu origem ao filme A Bússola Dourada, vencedor do Óscar de Melhores Efeitos Visuais em 2008. O mesmo ano em que o seu romance The Butterfly Tattoo foi adaptado ao grande ecrã.

Nem a BBC resistiu à qualidade das obras de Pullman e, em 2006, adquiriu os direitos dos livros The Ruby in the Smoke e The Shadow in the North, para os transformar em telefilme. Estás curioso?

Gostou? Partilhe este artigo:

 

Por: Ana Catarina Pinto

Gostou? Partilhe este artigo: