Os primeiros livros
que deve ler aos seus filhos

É importante cultivar o gosto pela leitura desde tenra idade. Conheça algumas sugestões para apresentar o mundo da literatura ao seu rebento.

Escolher os primeiros livros para ler ao seu filho não é brincadeira de crianças. Às vezes pode parecer difícil saber se um livro é apropriado à idade. E, mais cedo ou mais tarde, qualquer pai ou mãe se pergunta: o que hei de ler ao meu pequeno antes de dormir?

Os clássicos: obras que marcaram a nossa infância

Há livros e autores que ficam na memória, marcando pais e filhos ao longo de várias gerações . Embora sejam transportados pelos séculos e sujeitos a transformações, a sua essência permanece inalterada, continuando a fazer parte do repertório de muitos pais.

Contos de fadas como os Contos de Grimm ou as histórias de Hans Christian Andersen são alguns dos clássicos tornados intemporais pela oralidade e pela escrita. Da mesma forma, as Fábulas de La Fontaine, conhecidas histórias de animais falantes, entretém crianças (e pais) e são uma boa aposta.

Claro que fora dos grandes clássicos também existem livros que alguns pais poderão recordar da sua infância, como 365 Histórias para Adormecer, uma compilação de histórias curtas e divertidas, uma por cada dia do ano. É caso para dizer: “Uma história por dia nem sabes o bem que te fazia!”

Os contemporâneos: sucessos da literatura infantil

Os livros para crianças também podem ser grandes bestsellers, ultrapassando fronteiras linguísticas e culturais e chegando a crianças um pouco por todo o mundo. Existem figuras a quem são dedicadas séries inteiras e que os pais facilmente reconhecerão no imaginário infantil dos nossos dias.

O mais célebre é Noddy. Tornado famoso em Portugal através dos desenhos animados, nasce nos anos 40 pela mão de Enid Blyton, que publicou mais de uma dezena de volumes sobre o boneco de madeira, contendo histórias simples como O Grande Desfile ou Um Presente Perfeito.

Outros personagens coloridos como o Elefante Elmer, feito de retalhos, ou a Bruxa Mimi, uma simpática bruxa que vive com o seu gato preto, fizeram sucesso com os mais novos e deram origem a longas coleções de contos, algumas com mais de 20 anos. As ilustrações coloridas tornam-nos apelativos quer para miúdos quer para graúdos. Já os livros de Olivia, uma porquinha com muita energia, seguem um estilo um pouco mais minimalista, mas a simplicidade torna-a uma das personagens literárias mais adoradas pelo público infantil.

Mas os sucessos não são feitos apenas de séries. A Lagartinha Muito Comilona, sobre uma lagarta esfomeada que não consegue parar de comer, e Adivinha o Quanto Eu Gosto de Ti são dois outros campeões de vendas e alguns dos preferidos entre os mais novos.

Os lusófonos: o primeiro contacto com a literatura portuguesa

É de pequenino que se pode (e deve) começar a conhecer melhor a literatura lusófona, em especial a infantil, que tem evoluído consideravelmente nos últimos anos e agora, mais do que nunca, começa a ser reconhecida também a nível internacional.

A Editora Tangerina é uma das principais editoras de literatura infantil em Portugal, tendo lançado obras como Pê de Pai, O Que Há e Para Onde Vamos Quando Desaparecemos, pequenas histórias para entreter e responder àquelas grandes perguntas para as quais os pais nem sempre têm resposta pronta. Também Catarina Sobral se tem distinguido no mundo da literatura infantil. Alguns dos seus livros, como O Meu Avô ou Greve, foram inclusive premiados tanto em Portugal como no estrangeiro.

Outros escritores que têm conquistado o público lusófono com as suas obras infantis e juvenis são Mia Couto e Ondjaki, destacando-se os trabalhos feitos em colaboração com uma das mais aclamadas ilustradoras da atualidade: Danuta Wojciechowska.


Por: Inês Melo

Gostou? Partilhe este artigo: