Os mestres da música imortalizados em livro

mestres-musica-revista-estante-fnac

Hoje é o Dia Europeu da Música. É dia de celebrar e redescobrir ícones como David Bowie, Bob Dylan, Bruce Springsteen ou Michael Jackson. Como? Através das suas (auto)biografias, claro.

Alguns já nos deixaram, como David Bowie ou Michael Jackson. Outros – esperemos – ainda têm energia (e saúde) de sobra para passarem muitos e bons anos em cima dos palcos, como Bob Dylan, Paul McCartney ou Bruce Springsteen.

Certo é que as grandes estrelas da música, como estas, viverão para sempre através das suas melodias. E, felizmente, também através dos livros, que têm sido o veículo de eleição na altura de partilhar com o mundo a sua história de vida.

Seja na forma de biografia ou de autobiografia, estes livros são uma inestimável fonte de informação sobre as lendas que nos cantam ao ouvido. Aqui, encontrarás detalhes inacreditáveis e talvez até conheças novas facetas do teu ídolo. Preparado?


 

Bob Dylan

Bob Dylan

Crónicas

Divididas em três volumes, as memórias do Nobel de Literatura 2016 recuam até à Nova Iorque de 1960, quando Dylan nem tinha ainda completado 20 anos. O cantautor recorda os seus primeiros passos no mundo da música, os encontros com produtores e artistas, os amores e desamores, o fascínio pela literatura e a chegada avassaladora da fama. Revela-nos ainda as histórias por detrás de várias canções e momentos incontornáveis da sua carreira, como a passagem por Woodstock. É um retrato íntimo de Bob Dylan, que parece suportar toda a sua criação poética e musical. “Não me recordo de um livro que me tenha feito mais feliz do que este”, assegura o crítico Bryan Appleyard, do The Sunday Times.


 

Brunce Springsteen

Bruce Springsteen

Born to Run: Autobiografia

Uma “longa e ruidosa oração” sobre música, família, ambição, persistência. É assim que “The Boss” descreve a sua autobiografia, merecedora do mesmo título de um dos seus álbuns mais aclamados. Born to Run não fala apenas da produção do respetivo trabalho de estúdio, mas de todos os lançamentos até Tunnel of Love (1987), bem como da relação (que começou precisamente durante a digressão deste álbum) e casamento com Vivienne Patricia Scialfa, e dos últimos 20 anos que culminaram no lançamento do mais recente álbum de originais, High Hopes (2014). Com humor e uma sinceridade brutal, Springsteen desvenda ainda histórias pessoais que inspiraram muitos dos seus hits. Não é um livro apenas para fãs, mas para todos aqueles que sonham, amam e lutam pelos seus objetivos.


 

 

George Harrison

George Harrison

George Harrison: À Porta Fechada

Autor das biografias de Johnny Cash e Kate Bush, entre outros, Graeme Thomson assina também um relato único e penetrante da vida do Beatle George Harrison. Dos tempos de infância e adolescência oprimidas até ao auge do sucesso que alcançou ao lado de Paul McCartney, John Lennon e Ringo Starr, À Porta Fechada acompanha a evolução do guitarrista que, ao longo de décadas, lidou com conflitos interiores e com a necessidade de encontrar um sentido maior para o seu lugar na música. Contar a história deste homem por vezes mal-interpretado, conhecido como o mais reservado dos Beatles, exigiu, por parte do autor, uma pesquisa intensiva e a realização de entrevistas a amigos e colegas do artista. “Thomson oferece um olhar próximo sobre um homem extremamente sensível, multitalentoso, frequentemente hipócrita, altamente libidinoso, complexo e egoísta”, resume o jornal Chicago Tribune.


 

Paul McCartney

Paul McCartney

Paul McCartney: The Biography

Da autoria de Philip Norman, esta é a primeira biografia aprovada por Paul McCartney – e com acesso a familiares e amigos próximos do músico britânico. Dos anos 60 passados numa Londres boémia e underground, onde o talento do Beatle começava a despontar, até aos dias de hoje, a obra acompanha a ascensão meteórica do “génio” McCartney, a infância traumática, o seu lado charmoso, complexo, inseguro, workaholic, e a simbiose com John Lennon na composição dos temas do famoso quarteto de Liverpool. Sem esquecer, claro, a fase pós-Beatles, o casamento com Linda Eastman, o romance turbulento com Heather Mills, e os trabalhos a solo nos últimos anos. Curiosamente, Philip Norman também é responsável pela biografia de John Lennon.


 

 

Keith Richards

Keith Richards

Life

Ainda hoje, aos 73 anos, é uma das maiores estrelas de rock do mundo. E que melhor forma de conhecer o verdadeiro Keith Richards do que através das suas próprias palavras, reflexões e memórias? Life é um relato brutalmente honesto de uma vida de excessos, humor, fragilidades, sexo, drogas e rock n’ roll, de conflitos e emoções fortes a bordo dos Rolling Stones – nomeadamente a relação (por vezes) conturbada com Mick Jagger. É também um livro que, em menos de um ano, conseguiu ultrapassar o milhão de cópias vendidas em todo o mundo, valendo a Richards o prémio Escritor do Ano 2011, atribuído pela revista britânica GQ. “Ler Life é como fecharmo-nos dentro de um quarto com Keith Richards, perguntar-lhe tudo aquilo que sempre quisemos saber acerca dos Rolling Stones e tê-lo a responder de forma completamente honesta”, assegura Liz Phair, crítica do The New York Times.


 

Slash

Slash

Slash

Com um pai que desenhava capas de álbuns e uma mãe que criava looks para estrelas da música, Saul Hudson, mais conhecido por Slash, estava habituado desde pequenino a frequentar a casa de figuras como David Bowie, Joni Mitchell ou Iggy Pop. Mas o ponto de viragem na sua vida deu-se aos 15 anos, quando a avó lhe ofereceu uma guitarra, o instrumento que o levou, mais tarde, a conhecer Axl Rose e a fundar os Guns N’ Roses. Estes são apenas alguns dos detalhes que Slash relata na sua autobiografia. Isto e a luta pelo sucesso a nível global, a dependência de heroína, álcool e tabaco, a relação conturbada com Axl Rose que levou à implosão da banda, a vida familiar e os trabalhos a solo. Uma verdadeira montanha-russa para folhear.


Patti Smith

Patti Smith

Apenas Miúdos

A autobiografia da “madrinha do punk” não se resume a uma história de juventude, amor, amizade e talento. É muito mais. É um olhar único sobre o trabalho de Patti Smith desde o seu álbum de estreia, Horses (1975), até ao mais recente Banga (2012). É uma perspetiva nunca antes conhecida da sua relação com o fotógrafo Robert Mapplethorpe. É uma viagem no tempo que nos revela algumas das maiores ambições da cantora – sabias, por exemplo, que Smith quis, a dada altura, ser escritora? – e explica o seu impacto a nível de poesia e de arte visual.­ O The Guardian resume: “Apenas Miúdos deverá interessar a qualquer leitor que queria saber como se pode lançar uma carreira artística.”


 

 

David Bowie

David Bowie

Sobre Bowie

Perdemo-lo há pouco mais de um ano. A 10 de janeiro de 2016, para sermos precisos. Mas quem quiser recordar a carreira de David Bowie, que esteve sempre à frente do seu tempo graças aos experimentalismos sonoros e visuais, basta agarrar na biografia traçada por Rob Sheffield. O editor da revista Rolling Stone transporta-nos para os principais momentos da vida de Bowie, celebrando as suas várias aparências artísticas – desde a extravagância do álbum Ziggy Stardust à faceta moribunda de Blackstar, lançado dois dias antes da sua morte. Mas o que torna esta obra especial é o facto de ser um misto de biografia e autobiografia – isto porque, enquanto traça o percurso de Bowie, Sheffield dá por si a fazer apontamentos sobre a sua própria vida através da música do “Camaleão”. “O David Bowie é alguém que existe em tantos planos diferentes. Cada audiência tem o seu David Bowie, cada cultura e cada fã tem o seu David Bowie. E há tantas formas de vivermos o nosso Bowie e de o ouvirmos”, frisa o autor. Este livro é, certamente, uma delas.


 

Michael Jackson

Michael Jackson

Michael Jackson

Esta obra de culto ilustrada presta tributo ao “Rei da Pop”, que morreu em 2009, aos 50 anos. Ao contrário das demais biografias, esta assinada por Chris Roberts é parca em palavras, mas está recheada de fotografias inéditas de atuações em palco, bastidores e ambientes familiares. Enquanto leitores, acompanhamos Michael Jackson desde o nascimento no seio de uma família do mundo do espetáculo à estreia nos The Jackson 5 e, mais tarde, à afirmação enquanto estrela pop à escala global, que trouxe até nós êxitos incontornáveis como “Thriller” ou “Bad”. Oito anos após a sua morte, quão fantástico é o facto de continuar a ser uma das celebridades que mais lucram em vendas de álbuns? Acredita, vale a pena descobrir mais sobre ele.


EM PORTUGAL…


Amália Rodrigues

Amália Rodrigues

Amália: Uma Biografia

A Rainha do Fado continua bem viva entre os portugueses, e não apenas através da sua voz. A biografia escrita por Vítor Pavão dos Santos é, aliás, uma das melhores formas de recordarmos quanto Amália Rodrigues era amada pelo seu povo, quão poderosa era a sua voz e as canções por si deixadas em palco. A sua história de vida é-nos contada com base numa série de conversas que o autor teve com a fadista, transportando-nos para as suas primeiras atuações e levando-nos pela mão até ao dia da sua morte, 6 de outubro de 1999.


Zé Pedro

Zé Pedro

Não Sou o Único

Escrita pela sua irmã mais velha, Helena Reis, a biografia de Zé Pedro recua ao tempo em que ambos eram crianças, à fase de adolescência do guitarrista e à criação dos Xutos & Pontapés – que, para quem já não se recorda, começou por se chamar Delirium Tremens e, mais tarde, Beijinhos & Parabéns. Não ficam de fora as primeiras digressões de norte a sul do país, o contacto com a loucura dos fãs, a morte dos pais, a dependência de álcool e drogas e, mais tarde, o desenvolvimento de uma paixão pela rádio e pela arte de DJ. Um livro munido de testemunhos dos outros elementos da banda – Tim, João Cabeleira e Kalú – que transmite a verdadeira essência do rock n’ roll. A não perder.


 

Sérgio-Godinho

Sérgio Godinho

Retrovisor: Uma Biografia Musical de Sérgio Godinho

O título diz tudo. Nesta biografia, Nuno Galopim olha para os mais de 40 anos de carreira de Sérgio Godinho, para a sua influência na música, essencialmente, mas também no cinema, no teatro e na literatura. Para traçar o percurso completo, o autor parte das memórias de juventude do cantautor português, dos primeiros anos em que se fez à estrada e da sua afirmação enquanto voz da liberdade, para revisitar cada uma das suas canções mais icónicas e contar histórias que estiveram na sua origem, que as estimulou e lhes deu vida. O livro, que resulta de uma série de conversas entre Sérgio Godinho e Nuno Galopim, conta ainda com imagens únicas que fazem parte da coleção pessoal do músico.


Por: Carolina Morais

Gostou? Partilhe este artigo: