Os livros mais marcantes do AmadoraBD 2018

amadorabd-revista-estante-fnac

Mais um ano, mais uma edição do AmadoraBD. Estes são os livros que vais querer ler enquanto te preparas para um dos festivais de banda desenhada mais populares em Portugal.


História Alegre de Portugal

Manuel Pinheiro Chagas e Artur Correia

As cópias que fazia quando era mais pequeno eram de desenhos. Muitas vezes até copiava as ilustrações que via nos livros antes de os começar a ler. Logo aos 7 anos, Artur Correia começou a traçar o seu destino: o de ser ilustrador e cineasta de animação. Tanto que realizou o primeiro filme de animação português. Mas a história que escreveu não fica por aqui. Sensivelmente sete meses após a sua morte, o AmadoraBD organiza uma exposição em homenagem ao ilustrador português. É a ocasião ideal para leres a adaptação que o falecido artista fez à banda desenhada desta obra de Manuel Pinheiro Chagas.


Bruma

Bruma

Amanda Baeza

A exposição em homenagem a Artur Correia não será a única que estará patente no AmadoraBD 2018. O evento conta também como uma exposição sobre as obras de Amanda Baeza, uma autora que passou grande parte da vida entre Portugal e Chile. Bruma foi o primeiro livro que lançou em Portugal e valeu-lhe o Prémio Nacional de Banda Desenhada para Melhor Desenho em 2017. Uma coleção de quase 20 histórias íntimas e biográficas, uma delas sobre a sua chegada a Lisboa com 10 anos depois de viver grande parte da infância no Chile. 


Asteroid-Fighters-Vol-1-O-Inicio

Asteroid Fighters I: O Início

Rui Lacas

Depois de ter sido várias vezes premiado em edições anteriores do AmadoraBD, Rui Lacas marca este ano presença no evento para lançar, em conjunto com mais 30 autores, a coletânea Humanus. No entanto, os fãs do ilustrador ainda estão à espera do volume final de Asteroid Fighters, a trilogia de ficção científica cujo primeiro volume venceu o Prémio de Melhor Álbum Português no AmadoraBD 2010. O título diz tudo: um futuro apocalíptico em que três asteroides ameaçam destruir o planeta Terra. Para o impedir aparecem os nossos heróis, os asteroid fighters


watcher

Watchers

Luís Louro

Luís Louro estará no AmadoraBD a apresentar o seu livro – correção: os seus! O autor escreveu duas versões da mesma história, uma vermelha e uma branca, com finais diferentes. Tudo se passa numa Lisboa cheia de miniclones de animais selvagens e carros voadores. Mas o grande perigo é a obsessão de Sentinela – que ninguém sabe quem é – em ser popular. Uma obsessão que o leva a cometer atos criminosos. Nas duas versões que Luís Louro desenvolveu da mesma história, uma tem um final mais trágico e outra um final mais humorístico. 


we3

We3

Grant Morrison e Frank Quitely 

Mais um lançamento à vista no AmadoraBD deste ano: o oitavo volume da série americana We3, sobre três animais mortíferos. O que aconteceria se os militares aplicassem as suas tecnologias mais mortíferas aos animais, tornando um gato, um cão e um coelho em armas letais com metralhadoras, garras afiadas e dispositivos capazes de plantar minas? Facilmente se percebe que uma criatura que é metade cão e metade assassino não é necessariamente fofinha. Apesar disso, esta série continua a comover amantes de animais.

O BRASIL EM DESTAQUE

Conhece alguns dos nomes em destaque na exposição que integra premiados autores do Brasil, o tema central da edição de 2018 do AmadoraBD.

 

ATENEU

O Ateneu

Marcelo Quintanilha e Raul Pompeia

Além de as suas obras fazerem parte da exposição, Marcelo Quintanilha também vai estar no AmadoraBD, isto depois de já ter marcado presença em 2017, aproveitando para lançar O Ateneu, uma história com texto de Raul Pompeia. Este ano, Marcelo Quintanilha regressa para apresentar Luzes de Niterói. Mas enquanto esse livro não chega, descobre O Ateneu

Cumbe

Cumbe

Marcelo d’Salete 

Depois de ter vencido quatro categorias do Prémio Nacional HQMix do Brasil, Marcelo d’Salete vem lançar a Portugal o premiado Angola Janga. Mas já este ano arrecadou um Prémio Eisner com Cumbe, uma história sobre um dos tempos mais negros da humanidade, ou não fossem os protagonistas quatro escravos levados pelos portugueses para o Brasil. Talvez seja por isso que o autor tenha escolhido contá-la a preto em branco. As personagens são fictícias, mas provavelmente as histórias são bem reais. 

idiota

O Idiota

André Diniz

André Diniz é o único dos três autores brasileiros no AmadoraBD que vai deixar o seu trabalho falar por si próprio. Não estará presente no festival, mas integrará a exposição patente até 11 de novembro no Fórum Luís de Camões. Uma das suas principais obras é O Idiota, uma adaptação da clássica história de Dostoiévski, só que em banda desenhada e quase muda.Ou não valesse mais uma imagem do que mil palavras. 


Por: Tatiana Trilho

Gostou? Partilhe este artigo: