Os livros do Plano Nacional de Leitura que todos deveriam ler

plano-nacional-leitura

São recomendados para alunos entre os 9 e os 18 anos, mas a verdade é que estes livros não são só para miúdos. O Plano Nacional de Leitura está cheio de histórias que ultrapassam gerações e que já se tornaram verdadeiros clássicos (infantojuvenis).

O-Principezinho

O Principezinho

Antoine de Saint-Exupéry

Com mais de 75 anos, o encontro entre um piloto perdido no Sara e um príncipe, oriundo de um pequeno asteroide continua a ser um dos livros mais recomendados. Mas provavelmente não é por este motivo que conheces O Principezinho. A verdade moral de que “o essencial é invisível aos olhos” é o verdadeiro “cartão de visita” da história. Uma mensagem universal que já foi traduzida 300 vezes e está indicada pelo Plano Nacional de Leitura para alunos entre os 9 e 11 anos. Existe ainda uma versão infantil e juvenil.


A-Fada-Oriana

A Fada Oriana

Sophia de Mello Breyner Andresen

São poucos os contos de Sophia de Mello Breyner Andresen que não são recomendados pelo Plano Nacional de Leitura. A par de A Menina do Mar e de A Floresta, também A Fada Oriana – um dos primeiros contos infantis da poetisa – é sugerida para os alunos entre os 9 e os 11 anos. Encarregue de cuidar de uma floresta, Oriana toma conta de todos os seus habitantes até que fica encantada com o seu próprio reflexo e deixa de cumprir as suas tarefas. Prestes a celebrar o seu centésimo aniversário, Sophia de Mello Breyner é uma referência da literatura portuguesa para jovens e adultos.


O-Diario-de-Anne-Frank

O Diário de Anne Frank

Anne Frank

“Ninguém acreditará que uma rapariga de 13 anos esteja completamente sozinha no mundo.” Quando escreveu estas palavras no dia 20 de junho de 1942 no diário que a viria a acompanhar durante mais de dois anos, inclusive enquanto se escondia das tropas nazis, Anne Frank ainda estava longe de imaginar o quão verdadeiras viriam a tornar-se. Considerado Património da Humanidade pela ONU, O Diário de Anne Frank é uma leitura sugerida para os alunos do terceiro ciclo e a sua adaptação à banda desenhada é igualmente aconselhada, inclusive a alunos com 15 ou mais anos.


Eu-Malala

Eu, Malala

Malala Yousafzai e Christina Lamb

Um ícone global pela defesa da educação universal, Malala Yousafzai colocou a sua vida em risco por defender o direito das mulheres a ir à escola. Baleada à queima-roupa quando regressava de um exame, a ativista paquistanesa sobreviveu a uma morte que se julgava certa. A história da mais jovem laureada com o Nobel da Paz é uma leitura tão inspiradora como comovente recomendada pelo Plano Nacional de Leitura para jovens dos 12 aos 14 anos, mas que é capaz de ensinar várias lições até aos mais crescidos.


Breve-Historia-do-Tempo

Breve História do Tempo

Stephen Hawking

É a partir dos 12 anos, quando os jovens entram para o sétimo ano, que se deparam com uma data de disciplinas novas. Incluindo físico-química, em que começam a aprofundar temas como o espaço e o universo e ouvem falar, provavelmente pela primeira vez, da teoria do Big Bang. Breve História do Tempo pode ser uma boa leitura introdutória – recomendada entre os 12 e os 14 anos pelo Plano Nacional de Leitura –, já que Stephen Hawking troca por miúdos conceitos estudados na disciplina, numa explicação simples sobre a evolução e o futuro do universo também útil para muitos adultos.


O-Deus-das-Moscas

O Deus das Moscas

William Golding

Escrito por um professor de inglês que retrata um grupo de jovens sozinho numa ilha deserta, O Deus das Moscas tanto podia ser um livro sobre bullying como sobre a natureza humana, sendo por isso para todas as idades. Mas o que começa por parecer o sonho de qualquer adolescente cedo se transforma numa luta pelo poder. E pela sobrevivência. De leitura obrigatória em várias escolas dos Estados Unidos, esta distopia que recentemente celebrou 65 anos é recomendada para jovens a partir dos 12 anos.


Persepolis

Persépolis

Marjane Satrapi

No Irão, setenta por cento dos alunos são raparigas. Uma maioria na qual Marjane Satrapi – narradora e personagem principal desta autobiografia gráfica dividida em duas partes – fez parte na sua juventude. Esta novela gráfica conta não só a história de uma menina sonhadora criada num Irão conservador pós-revolução de 1979, como de um país em mudança. Eleito como um dos melhores livros infantis dos últimos 50 anos numa votação organizada pela Estante, é recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para os alunos entre os 15 e os 18 anos.


Memorial-do-Convento

Memorial do Convento

José Saramago

Além de recomendado para os alunos entre os 15 e os 18 anos, Memorial do Convento é também uma leitura obrigatória no 12.º ano. Frequentemente motivo de avaliação nos exames nacionais de português, a obra mais estudada do único Nobel da Literatura português regressa ao tempo da inquisição e da construção do convento de Mafra para nos dar a conhecer o sonho de um padre em voar e os seus dois ajudantes apaixonados – Baltazar e Blimunda –, mantendo o tom crítico e por vezes satírico da escrita de Saramago apreciado por miúdos e graúdos.


1984

1984

George Orwell

Disciplinas como a filosofia só são ensinadas a partir de uma certa idade em que os alunos já conseguem apreender e interpretar conceitos abstratos. O mesmo acontece com a recomendação de determinados livros que camuflam significados subliminares como 1984, cujas vendas dispararam quando Donald Trump tomou posse como Presidente dos Estados Unidos. A distopia de George Orwell que prevê a criação de uma sociedade panótica em que a liberdade de pensamento é apenas uma ilusão é recomendada aos alunos do secundário.

Por: Tatiana Trilho

Gostou? Partilhe este artigo: