Os 10 Livros da Minha Vida: Vhils

 

vhils-alexandre-farto-livros-vida-revista-estante-fnac

Alexandre Farto (“Vhils”)

Idade: 29 anos
Profissão: Artista urbano
Último livro publicado: Vhils
Chama-se Alexandre Farto, mas é mais conhecido no mundo artístico pelo nome de Vhils. Cresceu no Seixal e por lá começou, ainda adolescente, a desenvolver competências e um estilo próprio enquanto grafiteiro. Expandiu depois a sua arte a áreas como ilustração, design gráfico e animação. É atualmente um dos mais reputados artistas urbanos portugueses, dentro e fora de portas.
Fotografia: Rui Soares

Vhils revela os 10 livros da sua vida, entre os quais se encontram obras de Jean-Paul Sartre, Banksy e Karl Marx.


1. Can Art Change the World?
Joseph Remnant

Uma obra que aborda um projeto fundamental de um artista com quem já trabalhei várias vezes. O livro em si é uma obra impressionante, mas mais ainda é perceber o impacto que a arte pode ter em variados contextos e o modo como através de intervenções artísticas se podem mudar perceções, atitudes e, eventualmente, até nós mesmos.


2. A Idade da Razão
Jean-Paul Sartre

Um livro incrível que, apesar de ficção, espelha bem o facto de ter sido escrito numa das alturas mais interessantes em termos de reflexões e movimentos sociais, políticos e intelectuais na Europa.


3. The Anarchist Cookbook
William Powell

Uma obra-chave da contracultura revolucionária. Literalmente, uma bomba de livro.


4. Existencilism
Banksy

Este livro foi uma grande referência para mim. É uma obra fundamental que revela os conceitos e a prática revolucionária de um precursor da arte no espaço público: completo, consistente e relevante.


5. Art of Rebellion: The World of Street Art
Christian Hundertmark

Uma das primeiras abordagens consistentes e relevantes a serem publicadas sobre o contexto e os intervenientes no movimento global da arte urbana.


6. O Capital no Século XXI
Thomas Piketty

Não teremos paz enquanto não existir verdadeira justiça social. O livro de Piketty é uma análise essencial para quem quer entender o fenómeno da desigualdade e os conceitos de redistribuição justa de rendimentos e riqueza.


7. O Capital
Karl Marx

A obra maior de Marx tem-se mantido sempre relevante, quer se concorde ou não com a sua análise. Impressiona-me o facto de que muitas das suas reflexões vieram a provar-se corretas, não em termos de resolução de problemas, mas sim na sua identificação.


8. Branding Terror: The Logotypes and Iconography of Insurgent Groups and Terrorist Organizations
Artur Beifuss e Francesco Trivini Bellini

Um livro interessante para quem se interessa por temas de comunicação e identidade gráfica e a sua importância para veicular conceitos. Sempre me fascinou o modo como a comunicação gráfica pode ajudar a vender ideias, sejam de que natureza forem, a sua capacidade de poder ajudar a libertar, fazer consumir, promover um ideal, pedir um empréstimo ou oprimir milhares de pessoas.


9. No Logo
Naomi Klein

Uma excelente, fascinante e atual reflexão sobre a cultura de consumo.


10. 1984
George Orwell

 

Gostou? Partilhe este artigo: