O Monte dos Vendavais: Até que (nem) a morte os separe


5 curiosidades sobre…

Emily Brontë

  1. Era a segunda mais velha das três irmãs Brontë. Charlotte e Anne também foram escritoras.
  2. A personagem Nelly Dean, a governanta do Monte dos Vendavais, foi criada em jeito de homenagem à empregada que a acompanhou desde criança
  3. Juntamente com a irmã Charlotte, tentou abrir uma escola na própria casa. Mas não encontrou alunos.
  4. O sonho de trabalhar como professora foi destruído pela sua timidez incontrolável.
  5. Morreu no mesmo ano que o irmão Patrick Branwell, ambos vítimas de tuberculose.

Primeiras frases

“1801 – acabo de regressar da visita que fiz ao meu senhorio – o único vizinho que poderá perturbar o meu isolamento. Esta região é sem dúvida magnífica!”

O amor e o ódio nunca estiveram tão próximos. A vingança dá lugar à loucura e à obsessão no único romance escrito por Emily Brontë: O Monte dos Vendavais.

Quando o livro começa, já a história chegou quase ao fim. Um homem preso numa tempestade de neve é forçado a abrigar-se no sombrio Monte dos Vendavais. O ambiente gótico que rodeia esta herdade desperta a curiosidade sobre o passado daqueles que lá moram. E dos que já partiram mas insistem em ficar. Eternizada pela icónica canção de Kate Bush, a paixão arrebatadora que uniu Heathcliff e Catherine continua a querer sobrepor-se a tudo. Até mesmo à morte.


Como foi escrito

Desde cedo que Emily Brontë e as suas duas irmãs, Anne e Charlotte, foram incentivadas a dar asas à imaginação. A criação de mundos imaginários para dar cor às brincadeiras de crianças veio, mais tarde, a dar origem a obras como esta e Jane Eyre. Emily era a mais introvertida das três e a sua timidez não lhe permitia aventurar-se para fora da casa de família. As palavras eram a única forma de fuga possível. Escrito em segredo, O Monte dos Vendavais começou por ser um romance para ser lido por uma só pessoa apenas – a autora.

Numa altura em que a literatura estava confinada aos homens, as mulheres que se aventuravam neste mundo eram olhadas de lado e raramente viam os seus trabalhos publicados. Para combater a tendência, as três irmãs decidem publicar os seus romances sob pseudónimos masculinos. A primeira edição deste livro foi, por isso, assinada por “Ellis Bell”.

Aquele que hoje todos conhecemos como um grande clássico da literatura romântica não foi particularmente bem recebido. Considerado demasiado machista e rebuscado, com personagens pouco adequadas, acreditava-se que o mórbido romance só podia ter sido escrito por um homem fora do seu perfeito juízo. Contrariando todas as expetativas de romance tradicional, O Monte dos Vendavais acabou por ser aceite e, em 1850, foi reeditado com o nome original da autora.


Figuras-chave

Heathcliff                                                                        

É pela mão do Sr. Earnshaw, o patriarca da família, que Heathcliff chega à Herdade dos Tordos, onde se encontra o Monte dos Vendavais. O pequeno rapaz de etnia cigana é encontrado perdido pelas ruas de Liverpool e adotado por esta família rica. Apesar do feliz acontecimento, a sua infância não é um mar de rosas. Desprezado e maltratado por Hindley, o seu irmão adotivo, e desconsolado com o noivado de Catherine, o seu amor de infância, decide partir. Quando regressa, é um homem bem-sucedido e jura vingar-se de todos os culpados do seu sofrimento. É um homem tão apaixonado quanto vingativo, e não olha a meios para atingir o seu fim.

Catherine Earnshaw

É a filha do patriarca da família Earnshaw. Ao contrário do irmão, aceita bem a chegada de Heathcliff à herdade. A forte relação que se começa a desenvolver entre ambos deixa antever uma história condenada ao fracasso. Anos mais tarde, Cathy (como é carinhosamente chamada) vê-se obrigada a escolher entre o amor que sente por Heathcliff e as obrigações sociais que a empurram a casar com um homem rico. As consequências da escolha estendem-se por gerações e atingem tragicamente todos os descendentes desta família.


Por: Andreia Vaz

Gostou? Partilhe este artigo: