As dicas de Mariana Abecasis para uma gravidez mais saudável

No seu novo livro, O Guia Prático da Gravidez Saudável, a nutricionista Mariana Abecasis explica como prevenir complicações de saúde durante a gravidez. Em conversa com a Estante FNAC, levanta o véu sobre algumas das suas principais conclusões.

O GUIA PRÁTICO DA GRAVIDEZ SAUDÁVEL
“Quando estava grávida percebi que há pouca informação disponível para ajudar as grávidas dentro do tema da alimentação. Existem diversos livros sobre gravidez, obstetrícia e diferentes fases da gestação, mas os capítulos sobre alimentação eram muito pequenos. Por outro lado, também não me queria focar apenas nesse ponto, por isso achei que fazia sentido incluir a questão emocional, que muitas vezes é esquecida, e ainda o tema do exercício, que tem estado na ordem do dia e me pareceu importante desmistificar.”

A ideia de que uma grávida deve comer por dois é um mito

“Não há qualquer vantagem nesse comportamento. Na realidade, as necessidades calóricas alteram-se muito pouco ao longo da gravidez: no primeiro trimestre não há qualquer alteração, e no segundo e terceiro trimestres há um aumento de 200 a 300 calorias, o que também é muito pouco. Aconselho que não haja um reforço calórico durante a gravidez, mas sim um equilíbrio calórico e nutricional. Podem existir alterações nas necessidades nutricionais, mesmo que não exista uma mudança na quantidade de calorias. Não é comer por dois, mas sim ser saudável por dois.”


O consumo de proteína alimentar é importantíssimo durante a gravidez

“As necessidades de proteína são aumentadas durante a gravidez, pelo que é importante fazer pelo menos uma refeição de carne, peixe ou ovos. E se incluirmos alguma proteína nos snacks e lanches, como os iogurtes proteicos ou o queijo fresco, melhor ainda. Mas é importante perceber que estou a falar de proteína alimentar e não suplementada. Num mundo em que os suplementos parecem mais importantes do que a alimentação, é muito fácil pensar que um batido substitui certos alimentos.”


A sopa é a melhor amiga de uma grávida

“A sopa é uma ótima auxiliar na gravidez, para controlar o apetite e aumentar a ingestão de líquidos, vitaminas, minerais e fibra. Até porque muitas mulheres sofrem de obstipação durante a gravidez.”


Uma grávida não deve fugir dos lácteos

“Hoje em dia há a tendência de fugirmos dos lácteos porque, de repente, parece que o leite virou papão, mas na gravidez é importante incluir um ou dois lácteos. Não é preciso ser leite, podem ser iogurtes naturais, queijo fresco magro ou queijos com menor teor de gordura. É preciso atender às necessidades de cálcio.”

Quando estamos bem emocionalmente conseguimos ter um estilo de vida muito mais equilibrado de forma natural, o que não acontece quando nos sentimos mal porque o mal-estar alastra-se a outras áreas e fazemos escolhas alimentares nocivas.

Não existem alimentos proibidos na gravidez

“Não existem proibições absolutas na alimentação de uma grávida. Mesmo a questão do sushi, por exemplo, é muito controversa: há obstetras que dizem que não tem problema e outros que o consideram perigoso. Existem, contudo, alimentos com os quais devemos ter cuidado, nomeadamente saladas mal lavadas, carnes mal passadas (especialmente porco e vaca), bebidas alcoólicas ou cafeína em excesso. E claro que os alimentos crus representam um risco maior de contaminação por bactérias porque é a cozedura do alimento que mata uma possível bactéria.”


Certos alimentos podem ajudar a controlar os enjoos

“Alguns alimentos estão muito associados ao controlo dos enjoos. Os alimentos frescos ou gelados ajudam a aliviar as náuseas – ao contrário dos quentes, que a costumam agravar. Os cítricos, como o limão e a laranja, também podem contribuir para o alívio, assim como o gengibre. Os enjoos matinais, especificamente, podem ser controlados se a grávida comer, por exemplo, umas bolachas de água e sal ao acordar. Mas depende muito da individualidade de cada mulher, até porque pode acontecer que os enjoos acalmem com um alimento numa semana e, de repente, na semana seguinte, esse mesmo alimento ser potenciador das náuseas. É muito ingrato.”


Há três regras de ouro no pós-parto

“Beber água é fundamental. A quantidade de líquidos ingerida deve receber uma atenção redobrada, especialmente se a mulher estiver a amamentar. Não ter tentações em casa também é muito importante, porque a nossa atenção e capacidade de dizer ‘não’ estão muito em causa. Temos de ter a casa reforçada com alternativas saudáveis para escolhermos boas opções. Por fim, no pós-parto as bebidas alcoólicas devem continuar a ser evitadas porque o álcool pode passar para o bebé através do leite materno.”

Por: Inês Pereira
Fotografia: Mauro Motti

Gostou? Partilhe este artigo: