Lisboa: Livros que revelam segredos

revista-estante-fnac-lisboa-livros-que-revelam-segredos

Não é novidade para ninguém que Lisboa é uma cidade histórica, repleta de belezas e mistérios por descobrir. Mas não é apenas para visitantes de outras moradas que a capital portuguesa reserva os seus segredos. Descubra alguns livros que a ajudam a conhecer melhor.


Percorrer Lisboa é estudar o seu passado. A história da cidade é composta por milhares de breves curiosidades, algumas das quais com o rótulo de mito, que a ajudaram a moldar. Terá Martim Moniz entalado o próprio corpo no vão de uma das portas do atual Castelo de São Jorge, sacrificando-se para possibilitar a invasão durante a conquista de Lisboa? Existe, afinal, uma razão que explica o facto de o escudo de Portugal estar inclinado em 17 graus sobre a fachada da gare do Rossio? Será que esta mesma estação foi construída tendo por base a ideia, concebida pelo Padre António Vieira, de que Portugal lideraria um dia um Quinto Império? E que dizer da cabeça decepada de Diogo Alves, mais conhecido como Assassino do Aqueduto das Águas Livres, ainda hoje exposta na Faculdade de Medicina de Lisboa? Lisboa Misteriosa, de Marina Tavares Dias, e Lisboa Insólita e Secreta, de Vitor Manuel Adrião, exploram alguns dos episódios que ajudaram a tornar a cidade o que é hoje a fim de melhor apreciar a sua complexidade.

 

Lisboa de arte e entretenimento

A personalidade de uma cidade também se constrói na sua cultura. As memórias de Lisboa passam por emblemáticos concursos de ié-ié, bailes, banquetes, boates e conspirações em bares, muitas das quais lembradas em Lx 60 – A Vida em Lisboa Nunca Mais Foi a Mesma e Lx 70 – Lisboa, do Sonho à Realidade, ambos por Joana Stichini Vilela e Nick Mrozowski, o último com Pedro Fernandes. Já Os Cinemas de Lisboa, de Margarida Acciaiuoli, destaca o importante papel cultural e social que tiveram as salas de cinemas como São Luiz, Chiado-Terrasse, Tivoli e Éden, entre outros. Lisboa Gráfica, de Manuel Paula, por sua vez, imortaliza alguns dos mais impressionantes desenhos, grafismos e pinturas espalhados pelas ruas da capital. Recordações que contribuíram para a formação de uma identidade muito própria.

 

Lisboa de escritas e escritores

Uma cidade com a história e o património cultural de Lisboa está destinada a influenciar grandes mentes, e foi isso que aconteceu com alguns dos mais emblemáticos autores da literatura portuguesa. O nome de Fernando Pessoa, por exemplo, é quase indissociável ao de Lisboa e o poeta chegou mesmo a escrever um guia, de tom propositadamente turístico, no qual apresenta e descreve aquelas que acredita serem as principais atrações da capital: Lisboa: O Que o Turista Deve Saber. Mas mesmo Eça de Queirós, que até nasceu na Póvoa de Varzim e só mais tarde se mudou para Lisboa, se sentiu inspirado pela cidade ao ponto de a incluir de forma predominante na sua obra, como se demonstra em Roteiro da Lisboa de Eça de Queiroz e Seus Arredores, de A. Campos Matos. Um roteiro de obras para seguir e desvendar a cidade.

 


Por: Tiago Matos

Gostou? Partilhe este artigo: