Os 10 Livros da Minha Vida: Lídia Jorge

 

  • 7_Lidia_JorgeNacionalidade: Portuguesa
  • Vive: Lisboa
  • Idade: 67
  • Gosta de: Cidades

 

 

Nasceu no Algarve. Da sua obra destacam-se O Dia dos Prodígios (1980), O Cais das Merendas (1982; Prémio Cidade de Lisboa), Notícia da Cidade Silvestre (1984; Prémio Cidade de Lisboa), A Costa dos Murmúrios (1988), O Jardim sem Limites (1995; Prémio Bordallo de Literatura da Casa da Imprensa), O Vento Assobiando nas Gruas (2002; Grande Prémio de Romance e Novela da APE e Prémio Literário Correntes d’Escritas). Pela sua obra recebeu o prémio da Fundação Günter Grass e o Prémio da Latinidade João Neves da Fontoura. Em 2013, a Le Magazine Littéraire incluiu Lídia Jorge entre «10 grandes vozes da literatura estrangeira».

Os Memoráveis é o seu mais recente romance. 

Foi com a obra A Costa dos Murmúrios (1988) que a escritora se afirmou no panorama literário nacional e internacional. No livro, que narra a guerra colonial do ponto de vista feminino, é notória a influência dos três anos que viveu em Moçambique antes da queda do regime de ditadura em 1974.

O livro A Costa dos Murmúrios foi adaptado ao cinema por Margarida Cardoso e conta com a participação dos atores Beatriz Batarda e Filipe Duarte.

1. ILÍADA
Atribuído a Homero
Obra de leitura recorrente. Trata-se de um poema narrativo que remonta à Grécia antiga, centrado sobretudo num determinado episódio da Guerra de Tróia em que ninguém sai como vencedor.

2. O MONTE DOS VENDAVAIS
Emily Brontë
É o único romance da autora. Livro de grande fascínio. Nele se percorrem os vários passos da vingança de um homem desprezado sobre a família que o acolhe e depois expulsa.

3. ORLANDO
Virginia Woolf
Narrativa centrada em Orlando, figura bifronte que em si mesma contém uma vida de homem e uma vida de mulher, em fases sucessivas da única existência vivida ao longo de vários séculos.

4. O SOM E A FURIA
William Faulkner
Romance sobre a decadência de uma família no Sul dos Estados Unidos da América. Não é apenas o relato de uma trama de segredos abafados, escândalos e loucura feito pela subjetividade de três personagens e um autor. É também o triunfo do monólogo interior como processo de escrita que revolucionaria a literatura ocidental até aos nossos dias.

5. A MÃE APODRECIDA
Curzio Malaparte
Livro inclassificável que constitui um legado impressionante de memórias sobre o que viveu, viu e pensou ao longo da sua vida o autor italiano, tendo por palco a Europa dos anos trinta e quarenta.

6. POESIA DE ÁLVARO DE CAMPOS
Fernando Pessoa
É a produção do heterónimo mais dinâmico de Fernando Pessoa. Nestes poemas todas as paisagens, sentimentos, memórias e anseios de futuro assumem uma desmesura poética surpreendente.

7. NADA
Carmen Laforet
 Romance de aprendizagem, Nada narra a história de uma jovem estudante deslocada que vive em Barcelona durante a Guerra Civil de Espanha. O tema ainda hoje continua presente, sobretudo na literatura catalã.

8. O DELFIM
José Cardoso Pires
Livro emblema do autor, O Delfim é sobretudo uma lição de construção narrativa moderna irrepetível, já que neste romance se cruzam a tragédia da sociedade portuguesa dos anos sessenta com a depuração formal levada às últimas consequências.

9. NOVAS CARTAS PORTUGUESAS
Maria Teresa Horta, Maria Velho da Costa, Maria Isabel Barreno
Trata-se de um livro indispensável para quem queira entender que as mulheres só muito tarde aprenderam a ler e a escrever as suas vidas. Só muito tarde puderam falar de si mesmas e do seu próprio corpo.

 10. A CAIXA NEGRA
Amos OZ
Neste livro o escritor israelita atinge um dos pontos altos da ficção.
Um romance construído a partir do cruzamento epistolográfico entre várias personagens.

Gostou? Partilhe este artigo:

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *