O que ler em português? Os mais novos respondem

 

O Dia do Autor Português
assinala-se anualmente,
desde 1982, 
a 22 de maio,
coincidindo com o aniversário
da Sociedade Portuguesa de Autores.

dia-autor-portugues-revista-estante-fnac

Neste Dia do Autor Português, damos a palavra a quem está a começar a tomar o gosto pela leitura. Alunos do ensino primário revelam à Estante os seus escritores de eleição.

Meninos-de-Todas-as-Cores

Luísa Ducla Soares

O-Estranhao-Vol-1

Álvaro Magalhães

Hoje-ha-Palhacos

António Torrado e Maria Alberta Menéres

Tubarão na Banheira

David Machado

A literatura portuguesa está de boa saúde e recomenda-se. Somos terreno fértil não apenas em romances, poesia e thrillers, mas também em histórias infantojuvenis. São elas, aliás, que parecem determinar tudo o resto. É ou não é verdade que, se não ganharmos o gosto pela leitura desde bem cedo, temos grandes probabilidades de não sermos leitores assíduos na idade adulta?

Por isso é que neste Dia do Autor Português decidimos dar voz aos mais jovens. Aos que agora estão a aperfeiçoar a leitura, a escrita, e que estão no pico da sua curiosidade. Aos que não se cansam de ouvir boas histórias e de partilhá-las.

Fãs incansáveis de Luísa Ducla Soares

A Nova Escola João de Deus Ramos, em Lisboa, abriu as portas à Estante. Foram treze os alunos, entre os 7 e os 10 anos, que revelaram os seus gostos literários. E, deles, doze confessaram ser fãs de Luísa Ducla Soares, entre os quais Bárbara, Madalena, Carlos e Francisco.

O destaque foi claramente dado à escritora de 77 anos, mas os jovens não deixaram de enaltecer vários outros autores. Enquanto que Tomás, RitaConstança e Luna se perdem por livros de Maria Alberta Menéres e Álvaro Magalhães, Afonso, Bernardo e Sofia aplaudem António Torrado. Já Vivi, não poupa elogios a António Mota.

E porque sobressaem estes nomes? A diretora pedagógica da instituição, Lurdes Moreira, explica que os manuais escolares de Língua Portuguesa contêm vários textos desses autores e que muitos deles assinam obras pertencentes ao Plano Nacional de Leitura.

Histórias que arrancam gargalhadas

“O livro era muito engraçado!”; “Ri-me muito enquanto lia”; “A história tinha personagens tão divertidas!” Estas são as justificações dadas por crianças como Beatriz, Ânia, Matilde e Afonso – com quem a Estante também falou – para o facto de gostarem de determinados livros.

Estes jovens realçaram obras de David Machado (O Tubarão na Banheira), de José Eduardo Agualusa (A Girafa Que Comia Estrelas) e Alice Vieira (Leandro, Rei da Helíria), demonstrando que já sabem muito bem aquilo que gostam e o que os estimula. E a Estante, pois claro, apoia.


Por: Carolina Morais

Gostou? Partilhe este artigo: