Leite e Mel: o livro de poesia que está nas bocas do mundo


Um livro para…
Apreciadores de poesia breve, intimista e feminina.

Primeiro poema
como é que consegues ser
amável para as pessoas perguntou
leite e mel escorreram
dos meus lábios enquanto respondia
porque as pessoas não foram
amáveis para mim

Se gostaste deste livro, é provável que também gostes de…
Tardio (Rosa Oliveira)
Renascer Metade (Ana Costa)
Stag’s Leap (Sharon Olds)

É uma coleção de micropoemas, muitos dos quais ilustrados, sobre dor, amor, separação e cura, e fez de Rupi Kaur uma das autoras do momento no mundo da poesia. Já conheces Leite e Mel?

É poesia moderna, própria do mundo digital: minimalista, inspiradora, marcante. Mas ultrapassa os moldes do género através das ilustrações que a acompanham e de uma sinceridade que chega a chocar. Descobre o livro de poemas que acaba de chegar às livrarias portuguesas e que mais tem dado que falar nos últimos meses.

O livro

Leite e Mel divide-se em quatro partes: “a dor”, “o amor”, “a separação” e “a cura”. Tudo assim, sem maiúsculas, uma homenagem à escrita gurmukhi, que também permite, de acordo com a autora, que haja igualdade entre todas as letras.

É um livro repleto de poemas curtos, mas pungentes, ao jeito de pequenas confissões sobre assuntos íntimos. Fala-se de amor (“é a tua voz / que me despe”), mas também de perda (“estavas tão distante / que me esqueci completamente de que estavas ali”). Fala-se também de repressão (“tinhas tanto medo / da minha voz / que resolvi ter / medo dela também”) e orgulho (“estou a aprender / a amá-lo / amando-me a mim”).

Existem ainda ilustrações que acompanham alguns dos poemas, acrescentando novas histórias à história. Como a rosa cheia de espinhos que acompanha o texto: “eras sedutoramente bela / mas picaste-me quando me aproximei”. Um bom resumo para Leite e Mel.

A autora

Rupi Kaur tem apenas 24 anos, mas já conta com uma dose considerável de sucessos – e controvérsias. Nasceu na Índia, mas a sua família mudou-se para o Canadá quando tinha apenas 4 anos. Foi aqui que começou a interessar-se pelo trabalho de autoras como Virginia Woolf e Anaïs Nin, o que eventualmente a levou a escrever os seus próprios poemas, que publicava em redes sociais como o Instagram ou o Tumblr. A sua obra artística inclui ainda ensaios visuais sobre temas como menstruação e feminismo.

O gancho

Leite e Mel é um livro pouco comum nas listas de bestsellers literários. Mas foi lá que esteve, tendo vendido, até ao momento, mais de meio milhão de exemplares. Nada mau para uma obra que tem como fio-condutor a poesia – embora também inclua prosa e ilustrações.


Gostou? Partilhe este artigo: