Julián Fuks vence Prémio Literário José Saramago 2017

julian-fuks-revista-estante-fnac

O romance A Resistência, do brasileiro Julián Fuks, é o vencedor da 10.ª edição do Prémio Literário José Saramago. Instituído pela Fundação Círculo de Leitores para celebrar a atribuição do Prémio Nobel de Literatura a José Saramago em 1998, este prémio distingue de dois em dois anos uma obra literária de ficção escrita em língua portuguesa por um escritor com idade não superior a 35 anos.

Nas declarações que fez após o anúncio da vitória, Julián Fuks revelou que o seu sentimento era “quase avassalador de tanta alegria por receber um prémio como estes e entrar numa lista de autores que eu admiro”. Acrescentou ainda o seu apreço por José Saramago, autor que já havia elogiado numa entrevista à revista Estante, confessando que este o fez “rir e chorar” em momentos diferentes.

Entre os autores distinguidos anteriormente com o Prémio Literário José Saramago encontram-se nomes como José Luís Peixoto (Nenhum Olhar), Gonçalo M. Tavares (Jerusalém), Valter Hugo Mãe (O Remorso de Baltazar Serapião), João Tordo (As Três Vidas) e Bruno Vieira Amaral (As Primeiras Coisas).

Editado em Portugal em fevereiro de 2016, A Resistência é um romance inspirado em factos reais da vida de Fuks, é a história de um casal de psicanalistas que, na sequência do golpe militar na Argentina em 1976, decide deixar a resistência para trás e procurar exílio no Brasil.


Fotografia: Bruno Colaço/4SEE

Gostou? Partilhe este artigo: