José Luís Peixoto em 7 curiosidades

jose-luis-peixoto-revista-estante-fnac

Foi em 2001 que José Luís Peixoto, com apenas 27 anos, se tornou o mais jovem vencedor de sempre do Prémio Literário José Saramago.

Em causa o romance Nenhum Olhar, hoje um dos seus mais emblemáticos, que foi inclusive escolhido como um dos livros dessa década pelo jornal Expresso. Foi ainda incluído na lista dos melhores romances publicados no Reino Unido em 2007 pelo conceituado Financial Times. Arrancou desta forma um percurso com direito a livros de ficção, poesia, viagens e histórias para os mais novos. Os prémios, esses, também não se ficaram por aí.

Nenhum-Olhar

Recebeu largos elogios de José Saramago… e não só

Palavras para quê, quando José Saramago disse tudo? “José Luís Peixoto é uma das revelações mais surpreendentes da literatura portuguesa. É um homem que sabe escrever e que vai ser o continuador dos grandes escritores”, assegurou o Nobel de Literatura. Houve também quem o comparasse ao próprio Saramago. “Como Saramago, José Luís Peixoto é um escritor tocado pelo génio”, garantiu Urbano Tavares Rodrigues. Será preciso dizer mais?


Cresceu numa pequena aldeia no Alto Alentejo 

Nasceu em Galveias, no concelho de Ponte de Sor, em 1974. Uma aldeia pequena, é certo, mas que ajudou a moldar a sua personalidade. Bem cedo começou a passear-se pelas ruas vestido de preto – estilo que mantém até hoje –, distinguindo-se mais tarde também pelos piercings e tatuagens. A aldeia inspirou, em 2014, um romance com o mesmo nome.

Tocou guitarra numa banda de metal 

Começou a ouvir metal quando tinha 11 anos e, aos 18, tornou-se guitarrista de uma banda de grindcore: os Hipocondríacos. Ainda hoje, admite sentir que “o metal é uma vocação”.


Escreveu para os Moonspell

Como fã de música que é, e de Moonspell em particular, José Luís Peixoto não deixou escapar a oportunidade de se associar à banda para um projeto inédito: escrever um livro de contos, Antídoto, inspirado no universo do álbum The Antidote da banda portuguesa. Também já escreveu letras para artistas como Jorge Palma ou Da Weasel.

Foi professor em Cabo Verde

Antes de se dedicar a tempo inteiro à escrita, em 2001, foi professor de Inglês em regiões como Lousada e Pontinha. Mudou-se, a dada altura, para a Cidade da Praia, em Cabo Verde, onde também lecionou. Chegou a pensar que seria professor toda a vida.


Venceu cinco prémios literários

Além do já referido Prémio José Saramago, foi galardoado com os prémios Cálamo Outra Mirada (2007), Daniel Faria (2008), Libro d’Europa (2013) e Oceanos (2016). Os seus livros estão traduzidos e publicados em 26 idiomas.

Passou duas semanas no país mais fechado do mundo

Em 2012 teve uma epifania. Quis escrever sobre mais do que apenas aquilo que lhe é próximo – o Alentejo. Por isso, inscreveu-se para participar na “Kim Il-sung 100th Birthday Ultimate Mega Tour”, uma exceção do governo da Coreia do Norte que permitiu a entrada de visitantes no seu território, e durante duas semanas conheceu a realidade deste país. O resultado da viagem foi o livro Dentro do Segredo.

Por: Carolina Morais
Fotografia: Pedro Loureiro

Gostou? Partilhe este artigo: