Autora do Mês: O que ainda não sabes sobre Isabel Silva, a autora que sabe como ser feliz

Isabel Silva 

Naturalidade
Santa Maria de Lamas, Santa Maria da Feira, Portugal

Data de nascimento
8 de maio de 1986

Primeiro livro publicado
O Meu Plano do Bem (2017)

isabel-silva-estante-fnac

É apresentadora de televisão, repórter e, mais recentemente, empresária. Mas sabias que a autora de Eu Sei Como Ser Feliz também é flexitariana e maratonista, por exemplo? Revelamos-te algumas curiosidades que provavelmente ainda não conheces sobre Isabel Silva.

Isabel Silva mudou-se para Lisboa por sugestão de uma desconhecida

Nascida a 8 de maio de 1986, Isabel Silva viveu em Santa Maria de Lamas até aos 18 anos, altura em que se mudou para Lisboa para estudar. Em pequena pensou em ser bailarina, psicóloga ou até professora de ténis. Mais crescida, os planos passaram por ficar perto de casa, no Porto, a estudar Ciências da Comunicação. No entanto, quando estava a preencher a candidatura para a faculdade, uma desconhecida – hoje sua amiga – aconselhou-a a colocar o mesmo curso mas na Universidade Nova de Lisboa como primeira opção. Disse-lhe que era a melhor faculdade da área e que Lisboa lhe daria mais oportunidades. Foi o que Isabel fez.


Isabel Silva ainda não sabe tudo aquilo que quer ser

Depois de terminar o curso, Isabel Silva passou alguns meses no Reino Unido, realizando por lá vários trabalhos como produtora. Chegou à TVI em 2011, quando a mudança de Júlia Pinheiro para a SIC abriu algumas vagas na equipa do programa Você na TV. Foi na televisão que se tornou uma das caras mais conhecidas de Portugal. Contudo, Isabel Silva confessou numa entrevista que ainda não está satisfeita: “Se me perguntarem se ainda quero ser mais alguma coisa na vida respondo que sim, que ainda estou a descobrir. Devo chegar aos 80 anos e pensar naquilo que ainda quero ser.”


Isabel Silva nunca planeou escrever livros

“Nunca foi meu objetivo lançar um livro. [Mas] os meus seguidores começaram cada vez mais a pedir-me para lançar um livro de receitas”, explicou Isabel Silva numa entrevista, a propósito da motivação para publicar o seu primeiro livro, O Meu Plano do Bem. Apesar de não o classificar como um livro de receitas – “Não sou nutricionista. Não sou chef de cozinha”, explicou numa conversa conduzida pelo seu amigo Nuno Eiró, para a revista Estante –, começou a pensar “que provavelmente a melhor forma de responder a todas [as] perguntas era mesmo lançar um livro”. Além de receitas, O Meu Plano do Bem revela a forma como organiza a sua cozinha e a sua despensa e como planeia o seu regime alimentar durante a semana.


Isabel Silva é flexitariana

Atualmente com três livros publicados – O Meu Plano do Bem, A Comida Que Me Faz Brilhar e Eu Sei Como Ser Feliz –, Isabel Silva é conhecida pela “comida do bem”. Apesar de confessar que 70% da sua alimentação é vegan, a apresentadora explica que não se considera vegan nem vegetariana. Grande parte das suas refeições são à base de vegetais, cereais e leguminosas, sim, mas também come carne e peixe. Considera-se, por isso, flexitariana: alguém que privilegia a tal “comida do bem”, os ingredientes de qualidade, e que procura ter uma alimentação consciente e responsável.


Isabel Silva completou três das maiores maratonas do mundo

O desporto tornou-se também, nos últimos anos, uma das imagens de marca de Isabel Silva. Mais concretamente as maratonas. Já completou três das seis maiores do mundo (Berlim, Boston, Chicago, Londres, Nova Iorque e Tóquio). A primeira, em 2018, foi a maratona de Boston. Durante três horas, 33 minutos e 16 segundos correu com “temperaturas de 1°, sensação térmica -4°, vento de frente, rajadas fortes [e] chuva intensa”, como revelou no seu Instagram. Seguiram-se a maratona de Berlim e, no verão de 2019, a de Londres, onde lutou contra uma “dor de burro”, como a própria descreveu, que a deixou em lágrimas durante parte da prova. Nada que assuste Isabel Silva – até ao final do ano já declarou a intenção de correr em Nova Iorque.

Por: Tatiana Trilho
Fotografia: Bruno Colaço/4SEE

Gostou? Partilhe este artigo: