Histórias de Adormecer para Raparigas Rebeldes: 100 mulheres que te inspiram a mudar o mundo

irmas-bronte-elisabetta-stoinich-revista-estante-fnac

À procura do melhor livro de contos para ler a uma filha pequena na hora de dormir? Este livro fará com que ela sonhe com um futuro mais livre.


100 MULHERES INSPIRADORAS
Ada Lovelace (Matemática)
Alek Wek (Supermodelo)
Alfonsina Strada (Ciclista)
Alicia Alonso (Bailarina)
Ameenah Gurib-Fakim (Presidente e Cientista)
Amelia Earhart (Aviadora)
Amna Al Haddad (Halterofilista)
Ann Makosinski (Inventora)
Anna Politkovskaya (Jornalista)
Artemisia Gentileschi (Pintora)
Ashley Fiolek (Piloto de Motocross)
Astrid Lindgren (Escritora)
Aung San Suu Kyi (Política)
Balkissa Chaibou (Ativista)
Brenda Chapman (Realizadora)
Irmãs Brontë (Escritoras)
Catarina, a Grande (Imperatriz)
Alpinistas Cholita (Montanhistas)
Claudia Ruggerini (Resistente Antifascista)
Cleópatra (Faraó)
Coco Chanel (Estilista)
Cora Coralina (Poeta e Pasteleira)
Coy Mathis (Estudante do Ensino Básico)
Isabel I (Rainha)
Eufrosina Cruz (Ativista e Política)
Evita Perón (Política)
Fadumo Dayib (Política)
Florence Nightingale (Enfermeira)
Frida Kahlo (Pintora)
Grace Hopper (Engenheira Informática)
Grace O’Malley (Pirata)
Harriet Tubman (Resistente)
Hatshepsut (Faraó)
Helen Keller (Ativista)
Hillary Clinton (Candidata à Presidência dos EUA)
Hipátia (Matemática e Filósofa)
Irena Sendlerowa (Heroína de Guerra)
Isabel Allende (Escritora)
Jacquotte Delahaye (Pirata)
Jane Austen (Escritora)
Jane Goodall (Zoóloga)
Jessica Watson (Velejadora)
Jill Tarter (Astrónoma)
Jingū (Imperatriz)
Joan Jett (Estrela Rock)
Julia Child (Chef)
Kate Sheppard (Sufragista)
Lakshmi Bai (Rainha e Guerreira)
Lella Lombardi (Piloto da Fórmula 1)
Lozen (Guerreira)
Mae C. Jemison (Médica e Astronauta)
Malala Yousafzai (Ativista)
Manal Al-Sharif (Ativista)
Margaret Hamilton (Engenheira Informática)
Margaret Thatcher (Primeira-Ministra)
Margherita Hack (Astrofísica)
Maria Callas (Cantora Lírica)
Maria Montessori (Médica e Pedagoga)
Maria Reiche (Arqueóloga)
Maria Sibylla Merian (Naturalista)
Marie Curie (Cientista)
Mary Anning (Paleontóloga)
Mary Edwards Walker (Cirurgiã)
Mary Kom (Pugilista)
Matilde Montoya (Médica)
Maud Stevens Wagner (Tatuadora)
Maya Angelou (Escritora)
Maya Gabeira (Surfista)
Melba Liston (Trombonista)
Michaela Deprince (Bailarina)
Michelle Obama (Advogada e Primeira-Dama)
Millo Castro Zaldarriaga (Percussionista)
Irmãs Mirabal (Ativistas)
Miriam Makeba (Ativista e Cantora)
Misty Copeland (Bailarina)
Nancy Wake (Espiã)
Nanny dos Quilombolas (Rainha)
Nellie Bly (Repórter)
Nettie Stevens (Geneticista)
Nina Simone (Cantora)
Policarpa Salavarrieta (Espiã)
Rita Levi Montalcini (Cientista)
Rosa Parks (Ativista)
Ruth Bader Ginsburg (Juíza do Supremo Tribunal)
Ruth Harkness (Exploradora)
Seondeok da Silla (Rainha)
Serena e Venus Williams (Tenistas)
Simone Biles (Ginasta)
Sonita Alizadeh (Rapper)
Sylvia Earle (Bióloga Marinha)
Tamara de Lempicka (Pintora)
Virginia Woolf (Escritora)
Wang Zhenyi (Astrónoma)
Wangari Maathai (Ambientalista)
Wilma Rudolph (Atleta)
Xian Zhang (Maestrina)
Yaa Asantewaa (Rainha Guerreira)
Yoko Ono (Artista)
Yusra Mardini (Nadadora)
Zaha Hadid (Arquiteta)

Histórias de Adormecer para Raparigas Rebeldes começa com uma mensagem dirigida às raparigas rebeldes do mundo inteiro: “Sonhem mais alto, queiram mais, lutem com mais garra e, quando tiverem dúvidas, lembrem-se: têm razão.” Não é necessário irmos muito além para percebermos que é um livro assumida e orgulhosamente feminista.

Mas este não é apenas mais um livro que procura inspirar uma nova geração de mulheres extraordinárias; é antes uma prova de que o feminismo está aqui para ficar.

Senão, repare-se: Histórias de Adormecer para Raparigas Rebeldes nasce como um projeto de crowdfunding e angaria mais de um milhão de dólares em mais de 70 países, o que o torna o livro mais apoiado desde que existe crowdfunding. Faz-se bestseller internacional quase de imediato. E inspira uma sequela que também faz história no crowdfunding, distinguindo-se como o livro que mais rapidamente angaria o valor pedido.

Isto já para não falar das incontáveis mensagens de parabéns e incentivo que as italianas Elena Favilli e Francesca Cavallo, as autoras, têm recebido dos leitores.

 

 

O conceito de Histórias de Adormecer para Raparigas Rebeldes é muito simples: contar as histórias verdadeiras – não confundir com relatos enciclopédicos – de 100 mulheres inspiradoras da história. São até mais do que 100, já que as irmãs Brontë, as alpinistas Cholita, as irmãs Mirabal e as irmãs Venus e Serena Williams partilham as respetivas inclusões.

Cada personalidade conta com uma página para uma minibiografia criativa e com uma página para uma ilustração criada a propósito por um rol de 60 ilustradoras oriundas das mais diversas partes do mundo – incluindo de Portugal, já que Helena Morais Soares empresta os seus talentos para ilustrar Frida Kahlo e Miriam Makeba.

Entre as 100 mulheres escolhidas para integrar este primeiro volume encontram-se nomes tão expectáveis como Malala Yousafzai, Evita Perón e Amelia Earhart, mas também piratas (Grace O’Malley e Jacquotte Delahaye), pilotos de fórmula 1 e motocross (Lella Lombardi e Ashley Fiolek) e estrelas do rap e do rock (Sonita Alizadeh e Joan Jett).

Destaquem-se ainda as escritoras: além das já referidas Anne, Charlotte e Emily Brontë, temos Astrid Lindgren, Cora Coralina, Isabel Allende, Jane Austen, Maya Angelou e Virginia Woolf. Uma estante de peso, sem dúvida.

 

 

“Não é todos os dias que as mulheres recebem tanto incentivo”, escrevem as autoras no prefácio do livro. “E isso só nos faz dar-lhes mais valor. Como poderia ser de outra maneira? A maior parte das mulheres extraordinárias de que este livro fala nunca sentiram esse estímulo. Por muito importantes que tenham sido as suas descobertas, por muito audazes que tenham sido as suas aventuras, por muito geniais que elas próprias tenham sido – foram constantemente menosprezadas, esquecidas e, nalguns casos, quase apagadas da história.”

Histórias de Adormecer para Raparigas Rebeldes chega-nos, então, com o único propósito de as tornar vivas nos sonhos das crianças, para que estas possam crescer com a certeza de que as mulheres podem efetivamente fazer tudo aquilo a que se propõem.

É também por isso que o livro termina com duas páginas em branco: na primeira, espera-se que a jovem leitora escreva a sua própria história; na segunda, pede-se que desenhe o seu retrato.

“É importante que as raparigas percebam os obstáculos que têm pela frente. E é ainda mais importante que saibam que esses obstáculos não são inultrapassáveis. Que não só podem encontrar maneira de os superar, como podem até removê-los do caminho para quem vier depois, como fizeram todas estas grandes mulheres”, explicam as autoras.

Gostou? Partilhe este artigo: