Autor do mês: Herman Melville, 5 factos que ainda não conheces sobre o autor de Moby Dick

Herman Melville 

Naturalidade
Nova Iorque, Estados Unidos

Data de nascimento
1 de agosto de 1819

Morte
28 de setembro de 1891

herman-melville-estante-fnac

Apesar de ser conhecido sobretudo por Moby Dick, Herman Melville não é homem de um sucesso só. Na verdade, o romance foi dos menos bem-sucedidos do autor. Na altura em que se assinala o seu 200.º aniversário, revelamos este e mais alguns factos curiosos sobre o escritor.

Herman Melville abandonou um barco no meio do Pacífico  

Há exatamente 200 anos, a 1 de agosto de 1819, nascia o na altura Herman Melvill – a mãe alteraria o apelido da família para Melville uns anos mais tarde, depois de o marido se suicidar – em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Um dos primeiros trabalhos que arranjou para ajudar a sustentar a família (a mãe e sete irmãos) foi enquanto caçador de baleias. Por esse motivo, quando tinha 21 anos embarcou na viagem que inspiraria o seu primeiro livro, Typeea bordo do baleeiro Acushnet. Mas foi nas aventuras que viveu fora dele que se baseou para a escrita do romance.

Tudo começou quando, ao chegar à Polinésia Francesa, Herman Melville decidiu abandonar a embarcação em conjunto com um amigo para se refugiar nas florestas das ilhas. Há quem acredite que a má relação com o capitão do navio tenha sido a razão desta fuga. Afinal, não seria a primeira vez que o autor se desentenderia com membros da tripulação. Já em terra, nas Ilhas Marquesas, chegou a dar-se melhor com os habitantes indígenas das florestas do arquipélago que se acreditavam, erradamente, serem canibais. O reconto romantizado da sua estadia de alguns meses com os indígenas das Ilhas do Pacífico serviu de base para o primeiro de vários livros autobiográficos, um género que marcaria o início da sua carreira.


Herman Melville escapou de uma prisão no Taiti

As aventuras atribuladas de Herman Melville não terminaram na Polinésia Francesa. Na verdade, foi lá que começaram. Ao ponto de o regresso do autor aos Estados Unidos ter sido motivo de inspiração para o seu segundo livro e sequela de Typee, Omoo. A bordo do navio Lucy Ann, no qual embarcou para sair das Ilhas Marquesas, Herman Melville envolveu-se num motim que levou ao encarceramento de vários membros da tripulação, incluindo dele próprio, numa prisão no Taiti. No entanto, conseguiu fugir da cadeia sem problemas – uma experiência que descreveu no que considerou ser também um livro autobiográfico.


Herman Melville vendeu menos de 500 exemplares de Moby Dick quando era vivo

Herman Melville não terá sido o único autor que não viu o seu trabalho reconhecido enquanto era vivo. No entanto, será dos poucos cuja obra mais aclamada atualmente marcou um ponto de viragem no seu percurso enquanto escritor. O sexto romance de Herman Melville, Moby Dick, foi o primeiro a receber severas críticas, depois de os primeiros cinco – marcadamente inspirados em vivências do autor, sendo a maioria autobiográficos – terem sido aclamados.

Há quem diga que nem sequer tenham sido vendidos 500 exemplares do livro no Reino Unido e que o escritor tenha ganho menos de 600 dólares com as vendas do romance durante a sua vida. Atualmente é considerado o maior livro de língua inglesa não lido, de acordo com The Guardian, e é um dos livros preferidos de Barack Obama. Um exemplar da primeira edição vale milhares de euros.

Parcialmente inspirado num naufrágio resultante de um encontro desastroso entre uma baleia e um barco, Moby Dick foi o primeiro romance em que Herman Melville abandonou a vertente (parcialmente) biográfica e marcou a entrada da sua carreira de escritor numa espiral decrescente. Os livros seguintes que o autor publicaria em vida, Pierre or The Ambiguities, The Confidence-Man Billy, Budd Sailor receberiam igualmente duras críticas. Ao ponto de o levarem a mudar de carreira.


Herman Melville pode ter estado apaixonado por Nathaniel Hawthorne

Foi ao autor de A Letra Escarlate que Herman Melville dedicou Moby Dick, mas este não é o único facto que alimenta as teorias de que os dois escritores possam ter estado apaixonados. A verdade é que Herman Melville mudou-se de propósito para Berkshire com a família para se tornar vizinho de Nathaniel Hawthorne depois de o conhecer e tinha uma profunda admiração pelo trabalho de “um homem de natureza nobre e profunda”. The Guardian chega a afirmar que o autor de Moby Dick estava enfeitiçado pelo escritor mais velho e há quem veja no casamento homossexual de Moby Dick mais um indício da relação entre os dois.


Herman Melville deu nome a uma nova espécie de baleias

Tal como aconteceu com várias relíquias literárias, o sucesso de Moby Dick chegou várias décadas após o romance ser publicado. Mas poucos serão os livros e escritores que se poderão orgulhar de terem servido de inspiração para a criação do nome de uma nova espécie animal. Quando em 2015 um grupo de cientistas descobriu uma nova espécie de cachalotes, chamaram-lhe Albicetus, albus (branco) e cetus (baleia), devido às semelhanças com a baleia descrita por Herman Melville em Moby Dick. Branca, com uma magnitude fora do comum, um tom notável e um maxilar inferior deformado.

Por: Tatiana Trilho

Gostou? Partilhe este artigo: