A Guerra dos Tronos: descubra o livro ideal para cada personagem

Se tivesse a oportunidade, que livros recomendaria aos personagens de As Crónicas de Gelo e Fogo? Conheça as nossas escolhas.

Para alguns a paixão nasceu nos livros; para outros, na série televisiva. A maioria acompanha os dois formatos, até para melhor desfrutar das distintas bifurcações narrativas. Seja como for, são inúmeros os fãs de As Crónicas de Gelo e Fogo, uma das mais empolgantes sagas da atualidade, responsável pela introdução na cultura popular de um novo mundo, povoado por um leque de personagens tão marcantes quanto complexas que sofrem horrores às mãos de George R. R. Martin. Exercício hipotético: e se lhes pudesse atenuar um pouco as dificuldades, recomendando-lhes livros para se entreterem? Saiba quais são as nossas sugestões.

Livros para a Casa Stark

Comecemos pela Casa Stark, uma das mais nobres – e castigadas – de Westeros. Jon Snow já recebeu as suas recomendações, mas os restantes membros da família também poderiam tirar proveito de certas leituras.

Um bom livro para Eddard Stark, o patriarca da casa, seria por exemplo Convite Para Uma Decapitação, de Vladimir Nabokov, sobre um homem condenado à morte que passa os dias na prisão sem saber ao certo quando chegará o seu fim. A narrativa reflete algumas das dificuldades passadas por Eddard desde que se vê forçado a assumir a posição de Mão do Rei, metendo-se no processo no verdadeiro ninho de víboras que é a corte.

Bran Stark, um dos filhos de Eddard, tem apenas sete anos no início de A Guerra dos Tronos mas é a primeira vítima do carma na saga de George R. R. Martin. Apanhado no topo de uma das torres de Winterfell depois de a mãe lhe dizer que não as escale, sofre um aparatoso “acidente” que, no entanto, o revela portador de uma magia especial. O seu percurso assemelha-se um pouco ao de Harry Potter na saga de J. K. Rowling, razão pela qual poderia apreciar ler Harry Potter e a Pedra Filosofal.

Depois temos Sansa Stark, uma jovem muito romântica e feminina que passa os dias a sonhar conhecer o príncipe encantado. Talvez lhe fizesse bem ler A Princesa que Acreditava em Contos de Fadas, de Marcia Grad, uma história que desmistifica algumas ideias dos contos de fadas tradicionais e mostra que uma mulher deve acima de tudo depender de si própria.

Aria Stark é, por contraste, completamente diferente da irmã. Rebelde e aventureira, recusa seguir o percurso esperado para as mulheres da época. A história (real) que Hyeonseo Lee conta em A Mulher com Sete Nomes, sobre a sua arriscada fuga da Coreia do Norte, seria por isso uma leitura inspiradora para esta pequena mas destemida guerreira de Winterfell.

Temos ainda Robb Stark, e para este nada como Para um Casal Muito Especial no Seu Casamento, um livro-presente de Helen Exley. Para evitar inesperados dissabores, nada como enviá-lo aos noivos sempre que é convidado para um casamento. E faltar à festa.

Livros para a Casa Lannister

A família mais rica e poderosa dos Sete Reinos também poderia tirar partido de algumas leituras. Tyrion Lannister, um anão disforme a quem muitas vezes chamam de “O Duende”, não é estranho ao prazer dos livros. É, aliás, dele a frase: “Uma mente necessita de livros da mesma forma que uma espada necessita de uma pedra de amolar se quisermos que se mantenha afiada.” Também por aqui se vê quão bem-falante é este personagem e quanto poderia divertir-se com 21 Discursos que Mudaram o Mundo, de Chris Abbott, que inclui as inspiradoras e revolucionárias palavras de algumas das principais figuras da História.

Cersei Lannister, irmã de Tyrion, é bem diferente dele. Maquiavélica nas estratégias, faz tudo para proteger e elevar os filhos. Incluindo destruir o marido – o rei Robert Baratheon – de forma a conduzir o filho ao trono. Haveria de se identificar com Peggy Shippen, a protagonista de A Mulher do Traidor, de Allison Pataki, e com o seu plano para destituir George Washington em plena Guerra da Independência Americana.

Combatendo a vontade de recomendar a Jaime Lannister um livro sobre incesto fraternal (como A História Secreta), centramo-nos no seu valor enquanto soldado e, a partir de certa altura, na impossibilidade de o ser. A Recompensa do Soldado, de William Faulkner, sobre um veterano que chega a casa ferido e sem saber que rumo poderá dar à vida no futuro, seria uma boa opção para este personagem.

Para o sádico e tirano Joffrey Lannister, que demasiado jovem se vê no trono, um guia com vários conselhos para o ajudar a ser um ser humano melhor: Como Fazer Amigos e Influenciar as Pessoas, de Dale Carnegie.

Livros para os outros personagens

Uma das mais populares figuras da saga de George R. R. Martin, Daenerys Targaryen prepara de longe um ataque ao trono, fazendo-se acompanhar por três dragões tão temíveis quanto indomáveis. O título mais indicado para ela seria, por isso, Como Treinares o teu Dragão, de Cressida Cowell.

Brienne of Tarth, outra das mulheres mais aguerridas da saga, arrisca a vida dia após dia, defrontando (e derrotando) os mais perigosos soldados e redefinindo o papel da mulher na sociedade. Mulheres que Correm com os Lobos, um conjunto de histórias compostas por Clarissa Pinkola Estés sobre outras mulheres igualmente destemidas, é o tipo de livro que poderíamos esperar vê-la desfrutar.

Temos ainda o eterno manipulador Petyr Baelish, uma espécie de Iago d’As Crónicas de Gelo e Fogo, para quem cada homem é um potencial inimigo e cada inimigo é uma potencial oportunidade. Para ele, Como Tirar Proveito dos Inimigos, um clássico de Plutarco que desvaloriza valores como a honra e a dignidade, assumindo antes a prudência como uma arte.

Estas mesmas estratégias são muitas vezes assumidas por Melisandre, a feiticeira que muitos conhecem simplesmente como “A Mulher de Vermelho”. Para ela, nada como um livro de rituais, feitiços e sortilégios para afinar as capacidades. Como Magia Negra, de Abraxas.

E, por fim, quem se pode esquecer de Davos Seaworth? Este antigo contrabandista, opositor habitual de Melisandre, não é o leitor mais competente. Na verdade, passou a vida inteira sem saber ler. Impõe-se por isso um livro mais adequado às suas capacidades, como O Senhor Artur Aprende a Ler, com texto de Gill Pittar e ilustrações de Cris Morrell. Que também poderia ser uma boa hipótese para Hodor.


Por: Tiago Matos

Gostou? Partilhe este artigo: