Frederick Forsyth diz adeus à ficção

frederick-forsyth-revista-estante-fnacFotografia: À Margem – A Minha Vida na Intriga Internacional

O escritor inglês Frederick Forsyth, conhecido pelos thrillers de espionagem, anunciou que vai deixar de escrever ficção. Aos 78 anos, afirma que está cansado e que já não tem mais nada para dizer em romances.

Em 2015, Forsyth revelou que durante algum tempo trabalhou para a agência de espionagem britânica MI6. Esta experiência terá influenciado fortemente o seu trabalho enquanto escritor, passando para os livros algumas das experiências por que passou e o conhecimento que adquiriu.

Entre os seus livros mais conhecidos destacam-se O Dia do Chacal, A Lista da Morte, O Quarto Protocolo e À Margem – A Minha Vida na Intriga Internacional, publicado no passado mês de julho.

Ao todo foram mais de uma dezena de livros publicados, 70 mil cópias vendidas e várias histórias adaptadas ao cinema. O autor acrescenta ainda que, após a reforma, se vai dedicar à campanha de defesa de um soldado britânico condenado a prisão perpétua devido a um incidente durante a guerra do Afeganistão.

Gostou? Partilhe este artigo: