Faz as malas. Vamos para Espanha

Estás pronto para levantar voo? Despacha-te a fazer as malas porque a nossa viagem literária vai continuar. Desta vez o destino são as terras de nuestros hermanos. Já sabes que não precisas de levar muita coisa. O essencial está nos livros.

Sempre se ouviu dizer que, de Espanha, nem bom vento nem bom casamento. A verdade é que no campo literário a história é outra. Deste país de fortes costumes e tradições já saíram grandes nomes da literatura clássica e contemporânea. Foram também muitos os escritores que se inspiraram na História espanhola, dando origem a grandes obras. Podes não gostar de touradas ou ser um ás no flamenco, mas de certeza que vais adorar conhecer os nossos vizinhos através dos livros que te sugerimos.


Um escritor 

Carlos Ruiz Zafón

Embora viva em Los Angeles desde 1993, Carlos Ruiz Zafón é apaixonado por Barcelona, a cidade onde nasceu, em 1964. A maior cidade da Catalunha tem lugar cativo em quase todos os livros deste autor cuja carreira passou também pela escrita de argumentos para cinema e pelo trabalho como jornalista para os jornais espanhóis La Vanguarda e El País.

O seu primeiro romance, O Príncipe da Neblina, publicado em 1993, foi galardoado com o prémio Edebé de literatura para ficção Young Adult. Este romance deu origem à Trilogia da Neblina, composta por O Palácio da Meia-Noite e As Luzes de Setembro. Dentro deste género literário, Zafón publicou também Marina. Em 2001, com A Sombra do Vento, pretendeu captar um público mais adulto, dando início a uma nova trilogia que inclui também O Jogo do Anjo e O Prisioneiro do Céu.

Com trabalhos publicados em 45 países e traduzidos para mais de 30 idiomas, Carlos Ruiz Zafón é considerado um dos escritores espanhóis mais bem-sucedidos da atualidade.


Um livro de ficção

D. Quixote De La Mancha

Escrito por Miguel de Cervantes em 1605, este livro foi pioneiro na literatura de ficção moderna. Numa altura em que os romances de cavalaria começavam a perder o fulgor, D. Quixote é a representação satírica de um cavaleiro da época medieval que vê o mundo à luz do seu próprio umbigo. Por outro lado, Sancho Pança – o seu fiel escudeiro – expõe a realidade de uma maneira que contrasta drasticamente com o idealismo deste Cavaleiro Andante.

O humor e a fantasia juntam-se assim num retrato hilariante da sociedade espanhola de início do século XVII, dando origem a um dos exponentes máximos da literatura europeia e mundial. Não se estranha, por isso, que em 2002 este livro tenha sido eleito o melhor de todos os tempos por um conjunto de cem escritores nomeados pelo Instituto Nobel.


Um livro de não ficção

Homenagem à Catalunha

George Orwell, o autor deste livro, é americano e não espanhol. E, provavelmente não sabias que combateu na Guerra Civil espanhola, entre 1936 e 1939, pelo lado republicano. Orwell era um acérrimo defensor do socialismo democrata, e ao longo de toda a sua obra é possível destacar a maneira inteligente como se opõe ao totalitarismo e critica fortemente ditaduras como a de Franco.

Escrito na primeira pessoa, Homenagem à Catalunha é o relato verídico da experiência do autor durante a guerra, ao qual se adicionam observações pessoais sobre o contexto social, político e económico de uma Europa subjugada ao autoritarismo. A maneira lúcida e realista como retrata um período tão conturbado da História de Espanha torna este livro obrigatório na nossa viagem.


Uma inspiração 

Por Quem os Sinos Dobram

Desta vez, a Guerra Civil de Espanha serviu de inspiração para um dos grandes clássicos da literatura moderna. Em 1937, Ernest Hemingway foi para Espanha realizar reportagens sobre o conflito bélico, mas acabou por se tornar um participante voluntário ao lado do regime republicano. A sua experiência no campo de batalha e tudo o que presenciou inspiraram-no a escrever uma das suas melhores obras.

Por quem os Sinos Dobram é o relato romanceado dos três anos em que o país se dividiu entre republicanos e fascistas. Ao acompanharmos a história de vida de Robert Jordan, um jovem americano das Brigadas Internacionais, apercebemo-nos da importância de valores como a coragem e a lealdade, que estão por trás de todas as guerras.


Um destino 

Espanha

Estamos tão perto de Espanha que por vezes descartamos a ideia de viajarmos para lá. A verdade é que os nossos vizinhos espanhóis têm costumes e tradições que vais adorar descobrir. Jan Morris, a autora deste livro, é considerada uma das melhores escritoras de literatura de viagens. A sua narrativa leva-nos a percorrer as ruas das cidades mais emblemáticas de cada país com a sensação de que estivemos de facto em cada um daqueles recantos. As suas palavras levam-nos desta vez a conhecer a cultura e a geografia do país que fica mesmo aqui ao lado. Com um olhar perspicaz e atento ao detalhe, vai certamente despertar a tua curiosidade e deixar-te com vontade de saltar do sofá e partir à descoberta.


Por: Andreia Vaz

Gostou? Partilhe este artigo: