Equador: um romance entre Lisboa e São Tomé e Príncipe

O primeiro romance de Miguel Sousa Tavares foi na muche – até porque se trata do romance português mais vendido deste século. Equador foi o concretizar de um sonho antigo do autor: o de ocupar o dia (apenas e só) a escrever, não depender de ninguém, ser livre.

Equador demonstrou-me que podia viver de escrever e que tinha valido a pena”, explicou o autor numa entrevista. “Sou uma pessoa imensamente feliz e cheia de sorte. E isso devo muito a Equador e às pessoas que compraram o livro.”

Ao fim de 15 anos, depois de mais de 35 reedições e 400 mil exemplares vendidos, alguém se atreve a dizer que Equador não é um dos mais marcantes títulos da literatura portuguesa?

Equador foi adaptado à televisão em 2008. A série foi considerada, na altura, a maior produção televisiva portuguesa de sempre.

Ponto de partida

Lisboa

1905. Luís Bernardo é enviado pelo rei D. Carlos para a ilha de São Tomé, para assumir o cargo de governador.
Destino

São Tomé e Príncipe 

A estada do protagonista na então colónia portuguesa é marcada por dois acontecimentos: o combate à escravatura e a descoberta do amor. De um lado, uma missão que abre um conflito de interesses com a metrópole. Do outro, um amor proibido que muda a sua vida para sempre.

Por: Carolina Morais
Fotografia: Oxana Lanin

Gostou? Partilhe este artigo: