Manuel Pinto Coelho: “Há uma preocupação crescente das pessoas com a alimentação”

manuel-pinto-coelho-estante-fnac

O especialista em anti-aging defende que a alimentação é muito importante para chegar saudável a uma idade mais avançada. No seu novo livro, Chegar Novo a Velho – Receitas, explica a importância dos alimentos e a forma como devem ser confecionados.

Como lhe surgiu a ideia de escrever o livro Chegar Novo a Velho?

Depois de um jantar em casa do editor da Prime Books e meu amigo Jaime Cancella de Abreu, que, através de um telefonema no dia seguinte, me disse: “Tens a obrigação moral e cívica de escrever em livro o que disseste ontem, pois desse modo irás ajudar muita gente.”

E, como consequência, lançou recentemente um livro com o mesmo título, mas apenas focado em receitas. Sente que a alimentação é essencial nessa caminhada?

Sem qualquer sombra de dúvida. Como dizia Hipócrates, “o alimento é o seu principal remédio e o seu principal remédio é o alimento”.

Têm sido lançados muitos livros sobre alimentação saudável nos últimos anos. Sente que há uma preocupação cada vez maior por parte das pessoas ou é apenas uma tendência?

Há uma preocupação crescente das pessoas com a alimentação, pois vai havendo cada vez mais testemunhos reais de pessoas, comprovando quanto uma alimentação saudável lhes mudou as vidas.

 Se tivesse de escolher só três conselhos para as pessoas chegarem novas à velhice, quais seriam?

Coma alimentos paleolíticos e alcalinos, faça suplementação e modulação hormonal com hormonas bio-idênticas.


As boas gorduras e o colesterol não só não são nefastas para a saúde como são fundamentais, ajudando inclusive a perder peso. Não é a gordura que engorda, o que engorda e causa doença é o açúcar e a inflamação que ele provoca.


Chegar Novo a Velho – Receitas
O novo livro de Manuel Pinto Coelho surge na sequência de Chegar Novo A Velho. O especialista em anti-aging, seguindo os princípios de uma alimentação promotora de hormonas, alcalina e paleolítica, apresenta – em parceria com Camila Balbi – mais de 60 receitas. O médico explica os benefícios dos ingredientes e a forma como podem ser combinados e confecionados.

Diz que o colesterol é um mito e o que está em causa é a inflamação? Como é que isto se explica a um leigo?

Dizendo-lhe que, ao contrário do que lhe foi ensinado desde pequeno, as boas gorduras e o colesterol não só não são nefastas para a saúde como são fundamentais, ajudando inclusive a perder peso. Não é a gordura que engorda, o que engorda e causa doença é o açúcar e a inflamação que ele provoca.

Quais são as suas principais influências e de que forma se manifestam no seu trabalho?

Os meus colegas: Graham Simpson – que por intermédio de pessoa amiga conheci no Dubai e cujo acrónimo I. N. T. E. G. R. A. L. comanda a minha estratégia de combate ao envelhecimento, como reportei no Chegar Novo a Velho – e Thierry Hertogue – presidente da WOSAAM (World Society of Anti Aging Medicine), através das publicações que dá regularmente à estampa e dos seus muitos livros publicados.

O que é para si um bom livro?

Na área em que me movo – médica –, todo aquele que possa ajudar as pessoas a viverem a sua vida com mais qualidade.

Qual foi o último livro que leu?

Relato de um Náufrago, de Gabriel Garcia Márquez.

Qual foi a sua rotina habitual de escrita para estes dois últimos livros?

Durante a semana, acordar diariamente duas a três horas antes de sair de casa para a clínica e, ao fim de semana, aproveitar todos os tempos livres, de manhã e à tarde. Nunca escrevo à noite por habitualmente me encontrar cansado com as consultas do dia.

Já tem a ideia para o seu próximo livro?

Já. Não só a ideia mas já mesmo o seu nome.

O primeiro rascunho do livro faz-se à mão ou no computador?

Sempre no computador. Desaprendi de escrever à mão.

Que título daria a um livro sobre a sua vida?

A Grande Aventura.


Por: Catarina Sousa

Gostou? Partilhe este artigo: