Deus-Dará (nozes a quem tem dentes)


Um livro para…
Amantes de História e das relações entre as culturas brasileira e portuguesa.

Primeiras frases
“A lâmina desliza na mão de Lucas: frontal, parietal, occipital, temporal. O céu no espelho muda de roxo para violeta, trinetos de escravos esperam a condução da manhã, um milhão de carros na Avenida Brasil, há cem anos mangue e maré. Espelho no poste, poste na calçada, Lucas olha o crânio rapado, pensa num graffiti: Enfrenta com força a morada terrestre.

Se gostaste deste livro,
é provável que também gostes de…

Breviário do Brasil (Agustina Bessa-Luís)
Vai, Brasil (Alexandra Lucas Coelho)
O Drible (Sérgio Rodrigues)

Alexandra Lucas Coelho regressa ao país onde viveu durante quatro anos, o Brasil. Com mais de 500 páginas de romance, a autora faz uma viagem, no presente, aos 500 anos da história do Rio de Janeiro.

Em Vai, Brasil, a autora descreve de forma prática, com uma pitada de humor, as características dos brasileiros (muitas vezes em comparação às dos portugueses). Neste novo livro, Alexandra Lucas Coelho passa da realidade à ficção e faz-nos viajar durante 500 anos em apenas sete dias.

O livro

Deus-Dará são sete dias e quinhentos anos. Os sete dias são de estórias. Os 500 anos são de História. Num romance passado no Rio de Janeiro, Alexandra Lucas Coelho dá voz a sete personagens – Lucas, Judite, Zaca, Tristão, Inês, Gabriel e Noé – que, ao longo de sete dias, percorrem uma trama passada nos dias de hoje mas que remonta à história do Rio de Janeiro desde a sua fundação.

Ao longo de mais de 500 páginas, fruto dos anos que a autora viveu no Brasil – mais especificamente na cidade carioca –, o livro aborda a presença portuguesa no Rio, a personalidade dos cariocas e os contrastes vividos numa metrópole que quase nunca dorme.

A autora

Alexandra Lucas Coelho nasce em 1967, estuda teatro e trabalha na rádio durante 10 anos. Formada em Ciências da Comunicação, é jornalista e escreve crónicas no jornal Público. Recebe prémios de reportagem pelo Clube Português de Imprensa, Casa da Imprensa e o Grande Prémio Gazeta em 2005.

Como escritora, começa pelos relatos de viagem com Oriente Próximo (2007), Caderno Afegão (2009), Viva México (2010) e Tahrir! (2011). Só em 2012 publica o seu primeiro romance, E a Noite Roda. Com este livro vence o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores. Em 2015, publica O Meu Amante de Domingo, eleito Livro do Ano Público/Time Out.

O gancho

Há em Alexandra Lucas Coelho uma paixão pelo Brasil que a autora não esconde. Em entrevista ao entrevista ao Público chegou mesmo a confessar: “O Brasil tem um efeito psicanalítico muito interessante na nossa mentalidade de portugueses. Eu, que tenho uma costela bastante melancólica e ansiosa, acho que o Brasil teve um grande efeito terapêutico.” Curiosamente, não foi capaz de terminar o livro Deus-Dará no Brasil, sentindo que se precisava de afastar para o conseguir.

Em 2015 – na altura em que lançou O Meu Amante de Domingo e quando regressou a Portugal –, já tinha escrito 200 páginas do romance que agora publica. E só agora podemos ler a fundo as mais de 500 páginas que a autora nos deixa para que também nós façamos esta viagem até ao Rio de Janeiro e à sua história, à qual estamos intrinsecamente ligados.


Por: Catarina Sousa

Gostou? Partilhe este artigo: