Se gostas de Daniel Silva, vais adorar estes livros

daniel-silva-revista-estante-fnac

Chama-se A Rapariga Nova e é o mais recente livro de Daniel Silva, mas não é o único thriller que te vai chamar a atenção nas estantes da FNAC.

rapariga-nova

Daniel Silva tem um novo thriller e já sabes o que isso significa: centenas de páginas a um ritmo frenético, repletas de intrigas internacionais. Também significa que Gabriel Allon está de regresso para uma nova aventura. O chefe dos serviços secretos israelitas entra em ação (pela 19.ª vez) em A Rapariga Nova para salvar a filha do príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Khalidbin Mohammed, depois de esta ser sequestrada.

À boa maneira de Daniel Silva, que no passado deixou claro que se tornou jornalista para chegar a romancista, a trama é inspirada em acontecimentos (ou, neste caso, personagens) reais. Khalidbin Mohammed, em particular, terá sido baseado em Mohammed bin Salman, o príncipe saudita alegadamente envolvido no mediático assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, em 2018.

Se costumas acompanhar as investigações de Gabriel Allon, vais adorar este novo livro. Se nunca acompanhaste nenhuma, fica a saber que os thrillers de Daniel Silva podem perfeitamente ser lidos de forma individual, não sendo obrigatório um conhecimento alargado de capítulos prévios. E se já leste tudo o que tinhas para ler do autor, deixamos-te algumas sugestões de thrillers alternativos que também vais certamente adorar.

laranja-sangue

Laranja de Sangue

Harriet Tyce

Gostas do ritmo acelerado e das surpresas constantes dos thrillers de Daniel Silva? É isso mesmo que vais encontrar no romance de estreia de Harriet Tyce, que lhe tem valido comparações com nomes como Paula Hawkins e já se encontra a ser adaptado à televisão. A história acompanha uma advogada que é contratada para defender uma mulher acusada do brutal homicídio do seu marido. Mas esta advogada também não aparenta ser uma pessoa muito “equilibrada” e, para complicar ainda mais a trama, começa a ser perseguida por um stalker desconhecido.


A Rapariga que Sobreviveu

Leslie Wolfe

“Bateu à porta com o cano da arma, depois enroscou o silenciador enquanto esperava que alguém o deixasse entrar.” Parece o início de uma narrativa sangrenta, como as de Daniel Silva também conseguem ser, mas trata-se na verdade da introdução de um thriller de cariz bastante mais “íntimo”. Apresenta-nos uma jovem que, durante a infância, se tornou a única sobrevivente de um tenebroso massacre que lhe levou toda a sua família. Na altura o choque apagou-lhe tudo o que aconteceu da memória, mas agora recordar a pior noite da sua vida pode muito bem ser a única forma de evitar que o assassino a encontre.


O Último Oráculo

James Rollins

As histórias de Daniel Silva têm, com frequência, uma tal amplitude que podem envolver o destino de um país inteiro — ou talvez até do mundo. O mesmo acontece com os thrillers de James Rollins, e em particular os da sua mais popular série, Força Sigma. Neste livro, por exemplo, vais encontrar um grupo de cientistas que estão prestes a lançar um projeto capaz de provocar a extinção de toda a Humanidade. Cabe à Força Sigma impedi-lo, mas para isso terão de resolver um mistério com séculos de existência.


Os Outros

C. J. Tudor

Os últimos anos fizeram de C. J. Tudor uma das autoras do momento, através de sucessos como O Homem de Giz Levaram Annie Thornee embora a sua principal referência seja assumidamente Stephen King, também conseguimos ver qualquer coisa de Daniel Silva na energia viciante das suas narrativas. Os Outros, o seu mais recente thriller, dá-nos a conhecer um homem que passa os dias a percorrer a autoestrada, em busca da filha que todos acreditam estar morta mas que ele está certo que viu um dia a espreitar pela janela de um misterioso carro.


A Morte do Papa

Nuno Nepomuceno

Daniel Silva tem um nome bem português e é, na verdade, filho de açorianos, mas não deixa de ser um escritor americano. Se procuras um thriller ao seu jeito mas made in Portugal, vais adorar ler os livros de Nuno Nepomuceno. O mais recente, baseado em eventos reais — como os de Daniel Silva —, apresenta uma nova teoria sobre a misteriosa morte do Papa João Paulo I, em 1978. “Por todas as más explicações que foram dadas pela Santa Sé, achei que esta morte tinha todos os ingredientes para um thriller“, diz Nuno Nepomuceno. E tem razão.

Gostou? Partilhe este artigo: