5 curiosidades que vais descobrir no novo livro de George R. R. Martin

Sangue e Fogo-estante-fnac

Não, ainda não é The Winds of Winter, o tão aguardado penúltimo volume de As Crónicas de Gelo e Fogo. Mas já podes revisitar Westeros com Sangue e Fogo, um livro que George R. R. Martin diz esconder pistas importantes para o final da série. Talvez por isso tenha aconselhado a Daenerys a leitura deste manual sobre a história da família Targaryen que começa 300 anos antes dos eventos de A Guerra dos Tronos. Queres descobrir algumas das curiosidades contadas no livro?


Sangue e Fogo

SANGUE E FOGO
Sangue e Fogo será publicado em Portugal em dois volumes. O segundo também promete alimentar várias teorias dos fãs, mas a maior de todas é deixada no ar pelo próprio George R. R. Martin: “Há muita especulação sobre o facto de Aegon I ter adivinhado o que se passaria 300 anos depois e ter querido unir os Sete Reinos para que estivessem melhor preparados para a ameaça que ele eventualmente previu que viesse do Norte.” Não seria a primeira vez que um Targaryen anteveria a desgraça. Já a bisavó do avô de Aegon previu a destruição de Valíria pelo fogo que levou a família a mudar-se para Pedra do Dragão. 

 

Fire and Blood

FIRE AND BLOOD

O PRIMEIRO MÃO DO REI FOI UM BARATHEON 

Orys Baratheon foi nomeado Mão ainda antes de Aegon Targaryen ter sido coroado rei. O companheiro de juventude daquele que viria a ser conhecido como “O Conquistador” foi um aliado importante dos senhores dos dragões na conquista de Westeros. Orys tomou Ponta de Tempestade para Aegon e acabou por casar com a filha do falecido Rei de Tempestade, que derrotou na batalha pela conquista de Westeros. Foi a partir desta união que nasceu a casa Baratheon, mas a bonança não duraria muito. Depois de ter perdido a mão (literal) com que manuseava a espada na guerra de Drone, acabou por ser substituído como Mão do rei.


O TRONO DE FERRO FOI CONSTRUÍDO POR AEGON TARGARYEN

Depois de coroado, Aegon Targaryen escolheu fazer de Porto Real o bastião do reino em detrimento de Pedra do Dragão, a cidade insular onde os Targaryen se refugiaram depois de terem fugido de Valíria e onde permaneceram quase 100 anos antes de Aegon ter iniciado a conquista de Westeros. A “grande cadeira de metal feita com lâminas derretidas, retorcidas, marteladas e quebradas de todos os inimigos caídos” de Aegon durante a conquista viria a ser imortalizada como o Trono de Ferro. A imponência era tanta que, especula-se, terá sido o próprio trono a matar o Maegor I, o Cruel, quando este era rei.


OS DRAGÕES NÃO VOAVAM PARA ALÉM DA MURALHA

Esta é uma das revelações que pode ter mais impacto no desfecho final da narrativa que tão bem conhecemos. A certa altura, na série televisiva, Daenerys irrompe a norte da muralha com o seu dragão para salvar Jon Snow. No entanto, mais de 200 anos antes, os seus antepassados tinham falhado redondamente semelhante tentativa. Numa viagem dos reis Jaehaerys e Alysanne ao Norte, a rainha foi visitar a Patrulha da Noite com o seu dragão Alaprata: “Por três vezes tentei levá-lo para norte, para o outro lado da Muralha, mas ele voltou sempre a virar para sul. Nunca antes se tinha recusado a levar-me para onde eu desejava ir.”


A CUNHADA DA RAINHA ROUBOU TRÊS OVOS DE DRAGÃO

George R. R. Martin não confirma nem desmente, mas estes podem muito bem ser os ovos que Daenerys recebeu no início de As Crónicas de Gelo e Fogo. Depois de Elissa Farman, a irmã do marido da ex-rainha Rhaena, ter roubado três ovos de dragão e fugido para o outro lado do Mar Estreito, não voltou a conhecer-se o paradeiro destes tesouros. Assustada com a possibilidade de os Targaryen poderem deixar de ser os únicos senhores dos dragões, Rhaena chegou a ponderar assassinar os dragões desaparecidos logo que estes fossem avistados. O que se sabe é que Elissa Farman viajou para Bravos onde vendeu os ovos ao Senhor do Mar em troca de dinheiro para comprar uma frota de navios.


A PRINCESA ALYSSA TARGARYEN PERDEU O NARIZ

Esta é uma daquelas revelações que ajuda a alimentar a teoria de que Tyrion Lannister é na verdade um Targaryen. Mas se parece demasiado forçado inferir que as parecenças físicas entre Tyrion e Alyssa Targaryen os colocam como potenciais parentes, a verdade é que Sangue e Fogo não encerra estas suspeitas. Alyssa Targaryen tem um olho de cada cor (um verde e outro violeta) e um nariz torto devido a “uma pancada na cara com uma espada de madeira”. Se nos lembrarmos que Tyrion também tem olhos de duas cores (um verde e outro preto) e que partiu o nariz depois da Batalha de Água Negra, começamos a suspeitar se esta será uma pista deixada por George R. R. Martin ou apenas uma rasteira.


Por: Tatiana Trilho

Gostou? Partilhe este artigo: