Charles Dickens

Charles Dickens

Naturalidade
Landport, Inglaterra

Data de nascimento
7 de fevereiro de 1812

Morte
9 de junho de 1870

Charles Dickens foi um contador de estórias como poucos e o mais popular escritor da sua geração. Obras como Uma Canção de Natal, Oliver Twist e David Copperfield passaram o teste do tempo e valeram-lhe o estatuto de um dos mais importantes autores de todos os tempos. Sabes qual é o seu livro preferido, entre todos os que escreveu?

Antes dos livros

Charles Dickens nasce em Landport, na cidade de Portsmouth. Desde muito jovem que se interessa por livros, em particular por Robinson Crusoé, mas também por artes como o teatro. Na adolescência, é obrigado a abandonar a escola para ajudar a sustentar a numerosa família. Os problemas de dinheiro acompanham-no durante grande parte da juventude.

Eventualmente, decide investir numa carreira como escritor. Os seus primeiros textos – assinados com o pseudónimo “Boz” – são publicados em várias revistas e jornais e posteriormente compilados no livro Sketches by Boz (1836). Entretanto, trabalha em simultâneo como jornalista e editor.

Uma carreira de sucesso

Os Cadernos de Pickwick é o primeiro romance publicado por Charles Dickens, em 1837. É também, entre todos, o seu favorito. E até Fernando Pessoa chega anos mais tarde a lamentar tê-lo lido por não poder voltar a lê-lo pela primeira vez.

Segue-se um enorme sucesso intitulado Oliver Twist (1839), que o catapulta em definitivo para a popularidade, tanto na Inglaterra como nos Estados Unidos. É no seguimento de uma visita a este país que se afirma publicamente contra a escravatura, tornando-se ainda um dos primeiros escritores a questionar os direitos de autor internacionais.

Ao longo da vida, continua a publicar histórias que fazem dele a primeira grande celebridade moderna e um dos mais inovadores escritores do seu tempo, como Uma Canção de Natal (1843) e David Copperfield (1850). A instabilidade da sua vida privada leva-o, contudo, a desenvolver uma visão mais negra do mundo, patente em obras como Bleak House (1853) e Tempos Difíceis (1854). Já na fase descendente da sua carreira literária, destacam-se duas obras-primas: História em Duas Cidades (1859) e Grandes Esperanças (1861).

Os últimos anos

Em 1865, Charles Dickens encontra-se num comboio que sofre um terrível acidente, deixando-lhe claras sequelas a nível físico e psicológico. Morre cinco anos depois, no seguimento de um ataque cardíaco, na sua casa de Kent, em Inglaterra. Deixa por terminar o intrigante romance The Mystery of Edwin Drood.

Gostou? Partilhe este artigo:

 

Gostou? Partilhe este artigo: