Bruno Vieira Amaral está de volta com pugilistas, pokémons e génios

bruno-vieira-amaral-revista-estante-fnac

Manobras de Guerrilha: Pugilistas, Pokémons & Génios.

É este o curioso título do novo livro de Bruno Vieira Amaral, uma coleção de crónicas previamente publicadas em vários sites e publicações, onde o autor de As Primeiras Coisas e Hoje Estarás Comigo no Paraíso aborda os mais diversos temas, desde Freddie Mercury a Lionel Messi, passando por um safari de pokémons no Barreiro.


manobras-guerrilha-bruno-vieira-amaral-revista-estante-fnac

ARTE, DESPORTO E MUITO MAIS


Manobras de Guerrilha abre como se fosse um livro de desporto. Bruno Vieira Amaral começa por recordar episódios da vida do ex-futebolista Fernando Chalana – que, tal como o próprio autor, costumava morar na vila do Lavradio, no concelho do Barreiro – e prossegue depois para Lionel Messi e Diego Armando Maradona antes de se debruçar sobre alguns dos mais populares pugilistas de todos os tempos – Jake LaMotta, Mike Tyson, Muhammad Ali – e lembrar o “eterno derrotado” do atletismo português, Fernando Mamede.

Todas estas personalidades são génios a seu próprio jeito. E todas fazem parte do leque de memórias – e, porventura, obsessões – de Bruno Vieira Amaral. É por isso que o autor os recorda, aproveitando, pelo meio, para nos falar de cinema, música, literatura, fotografia e, claro está, de si próprio, ao longo de 26 textos independentes, escritos com a perspicácia que lhe é habitual.


Primeiras palavras

“O Lavradio, terra outrora rodeada de vinhedos e salinas, fértil, generosa, é uma pequena vila que poderá facilmente ser confundida com um dormitório suburbano sem história, qualidade metafísica ou aquilo a que chamamos a alma dos lugares, uma ressonância.”

 

O autor

Bruno Vieira Amaral é escritor, tradutor e crítico literário. O seu romance de estreia, As Primeiras Coisas, foi distinguido com cinco prémios, incluindo o Prémio José Saramago. Em 2017, publicou Hoje Estarás Comigo no Paraíso, um romance que, em conversa com a revista Estante, considerou ser ainda melhor. Entre os seus livros favoritos encontram-se títulos como Dom Quixote, Cem Anos de Solidão e La Orgía Perpetua.

5 EXCERTOS PARA ABRIR O APETITE


Um dos episódios mais caricatos – e divertidos – de Manobras de Guerrilha é a recordação da experiência do autor com o jogo/fenómeno Pokémon GO. Alguns destaques:

“Pergunto [à minha mulher] se no Barreiro também há pokémons. Há pokémons em todo o lado, diz-me. Pergunto-lhe se todo o lado abrange a Barra Cheia, Sarilhos Pequenos e o Afonsoeiro. Diz-me que sim, embora eu tenha a certeza de que não sabe onde fica o Afonsoeiro.”

“De manhã, antes de levarmos os miúdos à escola, diz-me que ontem ainda apanhou um Pokémon em casa. Antes isso. Se fosse uma barata tinha-me acordado.”

“Decido entrar numa sapataria para saber se costuma ir ali gente à caça de pokémons. Não, ali é mais sapatos, diz [a] funcionária da loja.”

“Atiro-lhe uma pokébola. Nada. Outra. Nada. Mais uma e outra e depois ainda outra. Vai ser um combate prolongado. Tenho de me preparar para uma guerra de baixa intensidade. Pergunto-me se lhe posso atirar outra coisa que não uma pokébola. Olho em volta, mas presumo que as cadeiras da esplanada não sirvam para estes fins.”

“Apresentações feitas, atiro-lhe uma pokébola. É uma cena bastante intuitiva. Gotcha! Nunca te irei esquecer, meu primeiro Pokémon. Go.


Fotografia: Bruno Colaço/4SEE

Gostou? Partilhe este artigo: