Beren e Lúthien: a história de amor de Tolkien

BerenLuthienCapa

 


Um livro para…
Quem quer conhecer as inspirações de Tolkien e a evolução da Terra Média.

Primeiro parágrafo
“Depois da publicação de O Silmarillion, em 1977, dediquei vários anos a investigar a sua história mais antiga e a escrever um livro que intitulei A História de O Silmarillion. Mais tarde, este estudo converteu-se na base (de certo modo abreviada) dos primeiros volumes de A História da Terra Média.”

Se gostaste deste livro, é provável que também gostes de…
The Silmarillion
(J. R. R. Tolkien e Christopher Tolkien)
Contos Inacabados de Númeror e da Terra Média
(J. R. R. Tolkien e Christopher Tolkien)
Os Filhos de Húrin
(J. R. R. Tolkien e Christopher Tolkien)

A épica história de amor entre o mortal Beren e a donzela imortal Lúthien é inspirada no próprio J. R. R. Tolkien e na sua mulher, Edith. Que mais nos revela este livro?

O livro

Beren é um homem mortal que vive apaixonado por Lúthien, uma bela criatura élfica imortal. Eis o problema: o pai de Lúthien, líder dos Elfos, não aprova a relação. Por isso, impõe a Beren a missão impossível de roubar uma preciosa joia ao mais poderoso representante do mal, Morgoth. Seria esta a única forma de Beren receber permissão para casar com a sua apaixonada.

Agora a história real que inspira Beren e Lúthien: J. R. R. Tolkien tinha 16 anos quando se apaixonou por Edith, de 19. Ambos eram órfãos e encontraram o conforto de que precisavam um no outro. Mas o tutor de Tolkien não aprovava a relação: por um lado, considerava que Edith o distraía dos deveres académico; por outro, sentia-se incomodado pela religião anglicana dela – Tolkien era católico.

Por isso, proibiu o contacto entre ambos. Só aos 21 anos, quando se tornou legalmente adulto, é que Tolkien voltou a contactar Edith, declarando-se a ela e pedindo-a em casamento. Alguns anos depois, Tolkien seria convocado para combater na Batalha do Somme, em França.

Regressado a casa, em 1917, escreveu a história de Beren e Lúthien, que viria a ser publicada como um dos contos do livro The Silmarillion. Ainda assim, Tolkien sempre achou que a história merecia ser publicada como um livro distinto.

Os autores

J. R. R. Tolkien viveu entre 1892 e 1973 no Reino Unido. Foi poeta, professor de Literatura na Universidade de Oxford e autor de uma das mais célebres sagas literárias de sempre: O Senhor dos Anéis. Entre os seus livros mais aclamados contam-se ainda O Hobbit, prequela de O Senhor dos Anéis que celebrou recentemente o 80.º aniversário, e The Silmarillion, que nos situa na primeira era do mundo concebido por si.

Este Beren e Lúthien, em particular, é da responsabilidade do seu filho, Christopher Tolkien, que dedicou grande parte da sua vida a organizar e aperfeiçoar os textos não publicados do pai. Foi também ele quem desenhou os mapas originais da Terra Média, que aparecem nos livros de O Senhor dos Anéis.

O gancho

A história de Beren e Lúthien é fundamental para qualquer leitor que queira compreender a evolução do mundo de Tolkien. Nesta mais recente edição, ilustrada por Alan Lee, Christopher Tolkien apresenta-nos a história, antes de mais, na versão original – portanto, através das palavras do pai –, complementando-a depois com excertos em prosa e em verso de textos posteriores que mostram como esta narrativa foi evoluindo à medida do tempo.


Por: Carolina Morais

Gostou? Partilhe este artigo: