Autor do mês: A arrepiante mente de Joël Dicker não te vai deixar dormir

Joël Dicker

Naturalidade
Genebra, Suíça

Data de nascimento
16 de junho de 1985

Primeiro livro publicado
Le Tigre (2005)

joel-dicker-revista-estante-fnac

Pertence a uma nova geração de populares escritores europeus e acaba de publicar um novo romance: O Desaparecimento de Stephanie Mailer. Mas há muito mais para saber sobre Joël Dicker e os seus arrepiantes thrillers. Fica com alguns exemplos.

Joël Dicker começou por escrever sobre um tigre

É um facto geralmente aceite que Os Últimos Dias dos Nossos Pais foi o primeiro livro publicado por Joël Dicker. O próprio autor o refere em várias entrevistas. No entanto, esta história sobre o verdadeiro papel das forças inglesas no desfecho da Segunda Guerra Mundial não foi a primeira que o suíço assinou. Em 2005, quando contava apenas 20 anos, publicou uma novela de 33 páginas sobre um homem que se aventura na caça de um temível tigre na Sibéria de início do século XX. Chamou-lhe Le Tigre.


Joël Dicker viu quatro romances diferentes rejeitados

Pode ser hoje tido por muitos como um dos melhores escritores suíços da atualidade, mas a popularidade de Joël Dicker não surgiu sem a sua quota-parte de rejeições. É que, mesmo depois de publicar Os Últimos Dias dos Nossos Pais, o autor não conseguia que as editoras aceitassem as suas histórias. Escreveu quatro romances, mas ficaram todos na gaveta. Até que A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert lhe trouxe o tão aguardado reconhecimento.


Joël Dicker está a meio da escrita de uma trilogia

Depois de A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert ter chegado a 33 países, vendendo mais de quatro milhões de exemplares e valendo a Joël Dicker, entre outros, o Grande Prémio de Romance da Academia Francesa de Letras e o Prix Goncourt des Lycéens, o suíço publicou O Livro dos Baltimore. E embora tenha dito à revista Estante que não se tratava realmente de uma sequela – “São dois livros que se podem ler de forma independente, não é uma continuação”–, a verdade é que nunca escondeu que os imagina como parte de uma trilogia. Decidiu entretanto fazer uma pausa na história para “experimentar algo diferente”, como disse ao Le Temps, mas terminar a trilogia permanece nos seus planos.


Joël Dicker recusa ser escritor de thrillers ou policiais

Quando se fala de Joël Dicker, a maior parte das pessoas associa-o a romances criminais com enredos misteriosos e narrativas obscuras. No entanto, por estranho que pareça, o escritor rejeita de forma veemente esta ideia. Recusa deixar-se “conduzir pelos supostos desejos dos leitores”. Recusa ficar preso a um só género. “O meu primeiro romance não era um policial, era um romance histórico. E o segundo tinha um enredo policial, mas o terceiro não.”


Joël Dicker resumiu a premissa do seu novo romance através de emojis

Chama-se O Desaparecimento de Stephanie Mailer, é o mais recente romance de Joël Dicker e leva-nos numa viagem pelo tempo. Em 1994 é-nos apresentado um autêntico massacre – uma família inteira assassinada na sua própria casa; em 2014, a jornalista Stephanie Mailer parece ter descoberto algo importante sobre o caso, mas desaparece antes de o conseguir revelar. Esta é a premissa do livro em texto. No entanto, Joël Dicker decidiu apresentá-la nas redes sociais através de emojis. Será que a consegues decifrar?

1994: ⚠️🛑🔫😱⚰️⚰️⚰️⚰️😨😨😨
2014: 🕵️‍♀️➡️❓⚠️⁉️➡️🚔➡️👮‍♂️➡️💡➡️🙏🏻
Por: Tiago Matos
Fotografia: Bruno Colaço/4SEE

Gostou? Partilhe este artigo: