Anatomia do Nobel

revista-estante-anatomia-do-nobel

No mês em que se conheceu a vencedora do Prémio Nobel de Literatura, destacamos alguns dos principais momentos e laureados da história do reputado galardão.

Os números

do Prémio Nobel de Literatura


111 vencedores entre 1901 e 2014
11,7% mulheres e 88,2% homens
24,3% escreviam em inglês
Idade média: 65 anos

Países mais premiados

França (15 vezes)
Estados Unidos (10 vezes)
Reino Unido (10 vezes)
Alemanha (8 vezes)
Suécia (8 vezes)

Valor monetário do prémio

8 milhões de coroas suecas (equivalente a mais de 830 mil euros).

Portugal e o prémio

O primeiro português nomeado para o Prémio Nobel de Literatura (logo na primeira edição) foi o dramaturgo João Gonçalves Zarco da Câmara.
O poeta António Correia de Oliveira foi nomeado 15 vezes, entre 1933 e 1942.
Maria Madalena de Martel Patrício foi nomeada 14 vezes, entre 1934 e 1947.
José Saramago foi, até à data, o único escritor português distinguido com o prémio, em 1998.

10 grandes autores que nunca ganharam o Prémio Nobel de Literatura

Anton Tchékhov
Arthur Miller
James Joyce
Jorge Luis Borges
Lev Tolstoi
Marcel Proust
Mark Twain
Philip Roth
Virginia Woolf
Vladimir Nabokov

1901

Sully Prudhomme

O poeta francês é o primeiro autor a ser distinguido com o Prémio Nobel de Literatura.


1907

Rudyard Kipling

O autor de O Livro da Selva torna-se, aos 42 anos, o mais jovem autor de sempre a vencer o Nobel.


1914

Pela primeira vez o prémio não é atribuído, algo que se repete seis vezes: 1918, 1935, 1940, 1941, 1942 e 1943.


1931

Erik Axel Karlfeldt

O poeta sueco torna-se o primeiro – e único, visto que a academia sueca acaba por banir a prática – autor a ser distinguido de forma póstuma com o prémio.


1958

Boris Pasternak

O autor de Doutor Jivago é obrigado a recusar o prémio sob ameaça de não poder regressar à sua União Soviética caso o aceitasse.


1964

Jean-Paul Sartre

O francês é o segundo autor a recusar o galardão, alegando que “um escritor não se deve permitir transformar numa instituição”.


1974

Eyvind Johnson e Harry Martinson

Pela quarta vez, a distinção é atribuída ex aequo a dois autores. Isto já havia acontecido em 1904 (Frédéric Mistral e José Echegaray), 1917 (Karl Adolph Gjellerup e Henrik Pontoppidan) e 1966 (Shmuel Yosef Agnon e Nelly Sachs).


1998

José Saramago

A academia sueca elogia as “parábolas sustentadas por imaginação, compaixão e ironia” do único autor português distinguido com o Prémio Nobel de Literatura.


2007

Doris Lessing

Aos 88 anos, a inglesa bate o recorde de idade, tornando-se a vencedora mais idosa de sempre.


2015

Svetlana Aleksievitch

A escrita da mais recente laureada foi destacada como “um monumento ao sofrimento e à coragem”.

Gostou? Partilhe este artigo: