AmadoraBD anuncia nomeados dos Prémios Nacionais de Banda Desenhada

O AmadoraBD – Festival Internacional de Banda Desenhada que, na sua 26.ª edição, recupera Quim e Manecas, emblemáticos personagens da banda desenhada nacional criados há 100 anos por Stuart Carvalhais, já anunciou os nomeados deste ano aos Prémios Nacionais de Banda Desenhada, assim como os vencedores dos Concursos Nacionais de Banda Desenhada e Cartoon.

No que diz respeito aos Prémios Nacionais de Banda Desenhada, os nomeados são:

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Álbum Português
Erzsébet, de Nunsky (Chili com Carne)
Deixa-me Entrar, de Joana Afonso (Polvo)
Sepultura dos Pais, de David Soares e André Coelho (Kingpin Books)
O Livro dos Dias, de Diniz Conefrey (Pianola/Quarto de Jade)
Volta – O Segredo do Vale das Sombras, de André Oliveira e André Caetano (Polvo)
Zombie, de Marco Mendes (Turbina/Mundo Fantasma)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Argumento para Álbum Português
Álvaro, por Balcão Trauma Vol. 2 (Insónia)
André Oliveira, por Volta – O Segredo do Vale das Sombras (Polvo)
David Soares, por Sepultura dos Pais (Kingpin Books)
Diniz Conefrey, por O Livro dos Dias (Pianola/Quarto de Jade)
Marco Mendes, por Zombie (Turbina/Mundo de Fantasma)
Nunsky, por Erzsébet (Chili com Carne)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Desenho para Álbum Português
André Caetano, por Volta – O Segredo do Vale das Sombras (Polvo)
André Coelho, por Sepultura dos Pais (Kingpin Books)
Diniz Conefrey, por O Livro dos Dias (Pianola/Quarto de Jade)
Marco Mendes, por Zombie (Turbina/Mundo de Fantasma)
Nunsky, por Erzsébet (Chili com Carne)
Ricardo Cabral, por Pontas Soltas – Lisboa (Asa)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Álbum de Autor Português em Língua Estrangeira
Crumbs, de Afonso Ferreira, Ana Matias, André Caetano, André Oliveira, André Pereira, Bernardo Majer, David Soares, Fernando Dordio, Francisco Sousa Lobo, Inês Galo, Joana Afonso, Mário Freitas, Nuno Duarte, Osvaldo Medina, Pedro Cruz, Pedro Serpa, Ricardo Venâncio, Sérgio Marques, Zé Burnay (Kingpin Books)
Gentleman, de André Oliveira e Ricardo Reis (Ave Rara)
I Like Your Art Much, de Francisco Sousa Lobo (Edição de Autor)
Living Will 3, de André Oliveira e Joana Afonso (Ave Rara)
Space, de Afonso Ferreira (El Pep)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Álbum Estrangeiro de Autor Português
Figment, de Filipe Andrade (Marvel/Disney)
Loki – Agent of Asgard, de Jorge Coelho (Marvel)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Álbum de Autor Estrangeiro
A Arte de Voar, de Altarriba e Kim (Levoir/Público)
Cachalote, de Daniel Galera e Rafael Coutinho (Polvo)
Finalmente o Verão, de Mariko Tamaki e Jillian Tamaki (Planeta Tangerina)
Habibi, de Craig Thompson (Devir)
Papá em África, de Anton Kannemeyer (MMMNNNRRRG)
O Árabe do Futuro, de Riad Sattouf (Teorema)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Álbum de Tiras Humorísticas
As Crianças São Muito Infantis, de Fernando Caeiro e Filipa da Rocha Marques (Bertrand Editora)
Baby Blues 31 – Cama Supra, de Jerry Scott e Rick Kirkman (Bizâncio)
Toda a Mafalda, de Quino (Verbo)
Psicopatos, de Miguel Montenegro (Arcádia)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Ilustração de Livro Infantil (Autor Português)
António Jorge Gonçalves, por Barriga da Baleia (Pato Lógico)
Bernardo P. Carvalho, por Daqui Ninguém Passa! (Planeta Tangerina)
Bernardo P. Carvalho, por Verdade?! (Pato Lógico)
João Fazenda, por Dança (Pato Lógico)
Marta Monteiro, por Amores de Família (Caminho)
Yara Kono, por Com 3 Novelos (O Mundo Dá Muitas Voltas) (Planeta Tangerina)
Susana Matos, por Onde Dormem os Reis? Uma Visita ao Panteão (Verbo)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Melhor Ilustração de Livro Infantil (Autor Estrangeiro)
Amigos do Peito, de Violeta Lópiz (Bruaá)
As Aventuras de Pinóquio, de Roberto Innocenti (Kalandraka)
O Mundo ao Contrário, de Atak (Planeta Tangerina)
O Que Está Lá Fora, de Maurice Sendak (Kalandraka)
O Tempo do Gigante, de Manuel Marsol (Orfeu Negro)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Prémio Clássicos da 9.ª Arte
Foi Assim a Guerra das Trincheiras, de Jacques Tardi (Levoir/Público)
Marvels, de Kurt Busiek e Alex Ross (Marvel/Levoir/Público)
Mort Cinder, de Oesterheld e Breccia (Levoir/Público)
Na Cozinha da Noite, de Maurice Sendak (Kalandraka)
O Diário do Meu Pai, de Jiro Taniguchi (Levoir/Público)
O Livro do Mr. Natural, de Robert Crum (Levoir/Público)
Sharaz-De: Contos das Mil e Uma Noites, de Sergio Toppi (Levoir/Público)
Pyongyang – Uma Viagem à Coreia do Norte, de Guy Delisle (Devir)
Um Contrato com Deus, de Will Eisner (Levoir/Público)

Prémio Nacional de Banda Desenhada – Fanzine
Carne e Osso, Coordenação de Marco Mendes e Sofia Neto (Edição de Autor)
É Fartar Vilanagem N.º 10, Coordenação de Alexandre Esgaio (Maria Macaréu)
Malmö Kebab Party, de Amanda Baeza, Hetamoé, Sofia Neto, Afonso Ferreira, Rudolfo (Chili com Carne/Ruru Comix)
QCDI 3000 – Fear of a Capitalist Planet, de André Pereira, Astromanta, Hetamoé e Mao (Chili com Carne)
ohZona, de Asja Wiegand, Caroline Ring, Christoph Mathieu, Fil, Miguel Santos, Gabriel Martins, Lew Bridcoe, Rui Alex e Yi (Zwerchfell, Zona BD, Oh Magazin)

Relativamente ao Concurso Nacional de Banda Desenhada, teve este ano como mote a criação de uma nova aventura de Quim e Manecas, separando os autores a concurso em três categorias, de acordo com a faixa etária. Na categoria dos 12 aos 16 anos, os três primeiros classificados foram, respetivamente, Rafael Antunes, Francisco Antunes e Nuno Salvada. Na categoria dos 17 aos 30 anos, o “pódio” ficou entregue a Daniela Ferreira, Pedro Mendes e Filipe Amado Simões, com duas menções honrosas atribuídas a Sérgio Sequeira e Inês Almeida. Por último, na faixa a partir dos 31 anos, foi concedido um único prémio a Marta Henriques e duas menções honrosas a Ricardo Almeida e Hugo Maciel.

A 24.º edição do Concurso Nacional de Cartoon teve, por sua vez, “Os Direitos da Criança” como mote inspirador. Aqui existiram apenas duas categorias, para autores entre os 16 e os 30 anos – foram premiados Bernardo Moreira, Ana Vaz de Carvalho e Lara Santos, com duas menções honrosas para Abel Domingos Rafael e João Januário – e para autores a partir dos 31 anos – Luís Guerreiro foi distinguido com o prémio único, sendo ainda atribuído um destaque a Ricardo Almeida.

Todos os prémios serão atribuídos na noite de 31 de outubro, no decorrer do AmadoraBD.

Gostou? Partilhe este artigo: