Amadora BD 2019: Os livros que te preparam para o festival

A data é especial: um dos mais populares festivais dedicados à banda desenhada em Portugal chega à 30.ª edição, com exposições, sessões de autógrafos e a presença de muitos autores. Estes são os livros que tens mesmo de ler antes do evento.

batam-o-regresso-do-cavaleiro-das-trevas

Batman: O Regresso do Cavaleiro das Trevas

Frank Miller, Klaus Janson e Lynn Varley

É um dos temas em destaque na edição deste ano do Amadora BD: Batman celebra o 80.º aniversário e é, por isso, merecedor de uma mostra especial que evoca as suas aventuras mais marcantes. Como a deste livro que te recomendamos. Afinal, basta recordar que Batman costumava ser visto como uma figura pateta desde a série televisiva de 1966, com Adam West no principal papel, até que Frank Miller o tornou o homem-morcego sombrio e ameaçador que hoje conhecemos, dando em simultâneo início ao período conhecido como a Era Sombria da Banda Desenhada. Em Batman: O Regresso do Cavaleiro das Trevas, Bruce Wayne surge-nos numa versão mais velha, já com 55 anos, reavivando a luta contra o crime depois de anos afastado.


Vingadores-Guardioes-da-Galaxia-Spider-Man

Procura e Descobre: Vingadores / Guardiões da Galáxia / Spider-Man

Marvel

Outro dos grandes destaques da 30.ª edição do Amadora BD é o incontornável Stan Lee, o super-criador de heróis que revolucionou a banda desenhada com as suas imortais personagens. Se queres saber mais sobre o autor, não te esqueças de passar pela exposição “Stan Lee – O Mito e as Criações”, patente no festival. Entretanto, até para apresentar alguns dos heróis de Stan Lee a uma nova geração de leitores, recomendamos-te este livro de atividades no qual as crianças são desafiadas a procurar objetos escondidos, em oito cenários diferentes, com a ajuda dos Vingadores, dos Guardiões da Galáxia e do Homem-Aranha. E quem sabe se, pelo meio, não ajudarão o nosso aracnídeo preferido a lutar contra o Duende Verde?


Fim-do-Mundo-andre-ducci

Fim do Mundo

André Ducci

O autor e ilustrador André Ducci descreve esta história como uma desventura de “um ser solitário que se vê encurralado na luta pela sobrevivência contra a natureza adversa”, inspirada na exploração polar do século XX. Certamente vais gostar se fores adepto de um estilo mais noir (a preto e branco) e mudo na banda desenhada. O livro foi lançado precisamente no Amadora BD, em 2017, e este ano o festival irá contar com uma mostra dedicada ao artista, que estará igualmente disponível para autógrafos.


luzes-de-niteroi

Luzes de Niterói

Marcello Quintanilha

Numa analogia propositada com o futebol (o pai de Marcello Quintanilha jogou por uma equipa de Niterói), o artista narra as aventuras de Hélcio, futebolista promissor, e do seu amigo com uma deformidade física. Mas o próprio autor também pode ser considerado um craque, afinal, o seu romance gráfico Tungsténio ganhou o prémio de melhor história policial no Festival de Angoulême, em França, em 2016. Este ano, podes ver Marcello Quintanilha ao vivo no Amadora BD e, quem sabe, pedir-lhe um autógrafo.


Aromm-Destino-Nomada

Âromm: Destino Nómada

Jorge ZentnerRuben Pellejero

A história passa-se numa hipotética Ásia Central, por volta de 500 a. C., onde o amor, o ódio e a vingança são as únicas leis dos bárbaros, que pilham, matam e agridem consoante a sua vontade. Ruben Pellejero, que marcará presença no Amadora BD, ilustrou a banda desenhada e Jorge Zentner escreveu os dois volumes (Destino Nómada e Coração da Estepe) que acompanham a vida de Âromm, o filho de um velho guerreiro.


Simplesmente-Samuel

Simplesmente Samuel

Tommi Musturi

Com uma narrativa que lembra Here de Richard McGuire, Tommi Musturi apresenta uma espécie de sequela de Caminhando com Samuel. Tal como Fim do Mundo, de André Ducci, a obra é muda. Acompanha a jornada silenciosa de Samuel enquanto ele percorre o mundo e reflete sobre o significado de estar vivo, a solidão e a individualidade, quase invisível num ambiente psicadelicamente colorido. Visita frequente do Amadora BD, Tommi Musturi regressa este ano ao festival.


um-capuchinho-vermelho

Um Capuchinho Vermelho

Marjolaine Leray

Se conheces a história do Capuchinho Vermelho, sabes que no final o Lobo Mau é morto pelo caçador e que a menina e a sua avó são salvas por este. No entanto, na banda desenhada de Marjolaine Leray, distinguida com o Prémio para Melhor Ilustrador Estrangeiro no Amadora BD de 2018, a Capuchinho Vermelho não só é corajosa como muito esperta – e pouca sorte terá o lobo que a tente engolir. A artista, que também é autora de Abril, o Peixe Vermelho, está de volta ao evento este ano.

Por: Carolina R. Rodrigues

Gostou? Partilhe este artigo: