A ler: Linhagem de Bravos


Um livro para…

Apreciadores de romances históricos. Leitores interessados por Vila Real ou pelas origens de Portugal e das cidades portuguesas.

Primeiras frases

“Em nome de Deus, amém. Conhecida cousa seja a quantos esta carta virem e ouvirem, que eu, D. Dinis, pela graça de Deus, Rei de Portugal e do Algarve, juntamente com minha mulher, Rainha Dona Elisabeth, filha que foi do mui nobre Rei D. Pedro de Aragão, faço Carta de Foro para todo o sempre, a vós, povoadores de Vila Real de Panóias.”

Como nasceu a cidade de Vila Real? É o que Emílio Miranda explora num romance histórico passado no ano de 1289.

A fundação da cidade de Vila Real serve de pano de fundo e motivação central de uma narrativa ficcional com muito sangue, fantasmas, mistérios, adultério, morte e amor.

O livro

Linhagem de Bravos foi um romance tirado a ferros. Começou a ser escrito por volta de 1986 e só foi dado por concluído em 2008, depois de mais de 20 anos de trabalho intermitente por parte do autor. Inicialmente publicado como A Princesa do Corgo, o texto foi posteriormente revisto, editado, polido e é agora reeditado com um novo título. A história passa-se no Portugal de 1289 e envolve um pedreiro e uma família, ambos em fuga, que chegam a Vila Real, então uma cidade em construção por ordem de D. Dinis. Enfrentando inúmeras dificuldades, estes personagens tornam-se testemunhas privilegiadas da edificação e dos primórdios de Portugal enquanto nação.

O autor

Emílio Miranda é romancista e poeta. Nasce em Luanda, Angola, em 1966, mas nove anos depois, com o deflagrar da guerra colonial, muda-se para Portugal, e mais concretamente para a aldeia de Lordelo, próxima de Vila Real. Publica o primeiro livro, A Última Vinda de Marte, em 1985. É também por volta desta altura que inicia a escrita de A Princesa do Corgo, agora publicado como Linhagem de Bravos. Em 2011, com o conto “João, o Trovador”, é eleito um dos Novos Talentos Fnac. Mantém-se ativo na escrita de contos e poemas até se fixar nos romances históricos, com títulos como O Livro dos Mosquetes ou 1089.

O gancho

Um livro que leva mais de 20 anos a ser escrito tem de ter algo de especial. Neste caso é a paixão do autor pela sua cidade, manifestada num romance que, tendo por base a ficção, desvenda um pouco do que foi a época medieval de Portugal e as origens de Vila Real. Linhagem de Bravos inclui ainda um mapa que imagina como seria a cidade nos seus primeiros dias.

Gostou? Partilhe este artigo: