A estante de Rui Miguel Tovar

Fotografias: Rodrigo Cabrita/4SEE

Rui Miguel Tovar
Rui Miguel Tovar é jornalista desportivo. Considera-se um apaixonado por cinema mas ainda mais por Futebol, tema sobre o qual escreveu vários livros, entre os quais Dicionário Sentimental de Futebol e O Grande Livro da Seleção. Participa atualmente no programa A Grandiosa Enciclopédia do Ludopédio, transmitido na RTP3.

Escondida no interior de um sofá-cama encontra-se a estante de Rui Miguel Tovar, uma “caixa-forte sem código” essencialmente composta por biografias de futebolistas e treinadores.

É uma estante, mas também um sofá-cama, e Rui Miguel Tovar refere-se a ela como “uma caixa-forte sem código”. Nela, o jornalista desportivo reúne alguns dos livros de que mais gosta, aqueles que lhe dão gosto ler uma segunda e terceira vez. São essencialmente biografias de futebolistas e treinadores, género que considera com grande potencial de exploração. “É um facto que me incomoda: não há ainda muitas biografias de jogadores de futebol ou treinadores. Podemos fazer muito mais.”

Afirma-se um fã categórico de livros em papel. “Não consigo conceber um mundo sem papel. Isto não quer dizer que não tenha sempre tecnologia ao pé de mim, mas não há nada como o papel.” Outro aspeto no qual confia plenamente são as traduções, ou pelo menos é o que diz, embora admita que a sua resposta não pode ser outra: “É uma pergunta tramada porque a minha mãe é tradutora.”

Quando falámos com ele, ainda decorria o Euro 2016. Atreveu-se a uma previsão da final: “É Portugal, certamente, contra França ou Alemanha.” E não é que acertou?

 

 

1

Na estante de Rui Miguel Tovar encontra-se um manual de apresentação do Mundial de Futebol de 1986, realizado no México, parcialmente escrito pelo seu pai, o também jornalista desportivo Rui Tovar. “Está num estado lastimável porque eu lia isto vezes e vezes sem conta”, recorda.

2

“É uma relíquia que estava em casa dos meus pais e eu resgatei.” Rui Miguel Tovar re…fere-se a uma edição original e autogra…fada de Memórias de Peyroteo, autobiograf…ia escrita em 1957 pelo histórico …futebolista do Sporting, que ainda hoje detém o recorde mundial de melhor marcador em campeonatos nacionais. Gosta da f…onte, das gravuras, das fotografias. “E, claro, do estilo da escrita, que também tem muita piada. Estamos a …falar de um tempo em que ‘malandro’ era um impropério muito grave, e ele está sempre a dizer que o de…fesa do Ben…fica lhe chamou ‘malandro’, como se isso fosse uma ofensa gravíssima.” O livro surge na estante em duplicado, já que o jornalista tem também a reedição de 2013, aumentada com dados estatísticos por João Nuno Coelho e Francisco Pinheiro.

3

Acima de qualquer outro, Rui Miguel Tovar destaca o livro Estrela Solitária, de Ruy Castro. “São quinhentas e tal páginas e li umas 300 logo no primeiro dia. Não o consegui largar.” É uma biograf…ia sobre o icónico …futebolista brasileiro Garrincha, por muitos considerado melhor do que Pelé. “Foi um jogador Ffenomenal, dif…erente dos demais porque não tinha qualquer interesse na competição e às vezes nem sabia as regras dos campeonatos. Quando lhe disseram que o Brasil era campeão do mundo f…icou espantado, porque achava que haveria mais um ou dois jogos.” O jornalista também elogia o trabalho que envolveu a recolha de mais de mil depoimentos. “Se isto …fosse …ficção, eu não acreditava.”

4

Herr Pep é outra das biograf…ias desta estante, centrada no ex-…futebolista e atual treinador Josep Guardiola. “É uma intervenção bastante interessante do jornalista Martí Perarnau, que passou um ano inteiro com Guardiola nos treinos do Bayern Munique e escreveu este marco de prosa que nos permite perceber que o jornalismo e o f…utebol andam às vezes de mãos dadas de …forma diária e muito íntima. Por vezes venho recordar aqui situações que não se passam cá em Portugal, porque ainda estamos numa …fase muito pré-histórica.”

5

Se pudesse dar um pontapé a um livro, Rui Miguel Tovar escolheria uma biograf…ia de Adolf… Hitler que lhe …foi o…ferecida. “É um livro pesado em todos os sentidos. Mas acho que se lhe desse um pontapé ainda me magoava a mim e …ficava lesionado.”

6

Se só pudesse levar um livro para uma ilha deserta, o eleito seria Ora, Como Eu Dizia…, autobiograf…ia de John Cleese. “Li-o há coisa de um ano e meio. Estava em Vilar de Mouros a passar f…érias e …foi muito embaraçoso porque durante três dias não parei de rir. John Cleese não f…ala dos Monty Python, mas a escrita cativante dele e o humor impregnado em cada linha, em cada palavra, …faziam-me rir. É de rir e esconder o livro na cara para su…focar o riso.”

 7

Além dos livros, há nesta estante um baralho de cartas que pertenceu ao pai de Rui Miguel Tovar e lhe traz recordações. “É o único elemento que não é para ler. É para jogar.”

8

“Sou o primeiro a reconhecer que dececionei, mas posso af…irmar, sem trair a minha consciência, que f…iz tudo para mudar o curso dos acontecimentos.” Esta citação de José Águas, histórico capitão do Ben…fica, incluída no livro José Águas – Capitão dos Campeões, de Jorge Galveias, é uma das pre…feridas de Rui Miguel Tovar: “É uma …frase importante porque esbarra naquilo que é a modernidade, onde jogadores e treinadores nunca são os culpados de nada.”

O futebol resumido em duas palavras do Dicionário Sentimental de Futebol,
escolhidas por Rui Miguel Tovar


Kaf‘ka

“A propósito de um jogo entre Benf…ica e Sporting que acabou mal, porque o árbitro Jorge Coroado expulsou um jogador e o Benf…ica protestou o jogo. A Federação deu razão ao Ben…fica e o jogo teve de ser repetido em campo neutro. Mas a FIFA, quando ouviu os argumentos de todas as partes, anulou esse jogo extra. E o árbitro re…feriu-se a tudo isto como um processo kafkiano.”

Brinco

“Houve um dia que Vítor Baptista, um jogador extraordinário do Benfica que se autointitulava ‘O Maior’, marcou um golo sensacional ao Sporting. No …estejo, deixou cair o brinco. Enquanto os jogadores do Sporting estavam no meio do campo à espera que o jogo …fosse reatado, estava o Vítor Baptista de cócoras no relvado à procura do brinco. E obrigou os jogadores do Benf…ica a …fazerem o mesmo. Já depois do jogo, os jogadores do Sporting f…oram para os balneários e os do Benf…ica continuaram de rabo para o ar à procura do brinco.”

Gostou? Partilhe este artigo: