7 livros infantis que marcaram 2016

livros-infantis-2016-revista-estante-fnac

São educativos, despertam a imaginação, estão repletos de ilustrações e de irrequietude. Os mais populares (e premiados) livros para jovens publicados no último ano estão aqui. Vem conhecê-los.

Brigas de irmãos. Brinquedos que ganham vida. Tartarugas em disputa por um chapéu. O diário de um jovem que testemunhou a Implantação da República. O que têm todas estas histórias em comum? Personagens e enredos empolgantes, alguns prémios (ou nomeações) no currículo e o facto de serem inteiramente dedicadas aos mais jovens.

Elegemos alguns dos mais populares, curiosos e desafiantes livros infantis publicados em 2016. Agora, queremos partilhá-los contigo.


101 Palavras

101 Palavras e ½ Para Saber Antes de Crescer

Isabel Zambujal, Pedro D’ Aguiar e João Bacelar

Depois do sucesso de vendas que foi 101 Coisas e Meia Que Devias Fazer Antes de Crescer, chegou-nos às mãos o segundo volume da coleção. Não apenas às crianças, mas também aos pais que sonham regressar aos tempos de infância, os autores ensinam “palavras crescidas” como “pespineta”, “lusco-fusco”, “pechincha”, “raspanete” ou “geringonça”.


Balbúrdia

Balbúrdia

Teresa Cortez

Histórias contadas exclusivamente através de ilustrações. Títulos com uma só palavra. Um total de 32 páginas. Estes são os pilares da coleção “Imagens que Contam”, da editora Pato Lógico, da qual o livro de Teresa Cortez faz parte. Ao folheá-lo, somos transportados para o quarto de um jovem com brinquedos espalhados por toda a parte, que um dia se juntam e ganham vida na forma de uma criatura gigante.


Diário de um adolescente

Diário de um Adolescente na Lisboa de 1910

Alice Vieira

Um pedaço da história de Portugal contado a crianças de hoje, por uma criança do passado. Esta é a premissa do mais recente livro de Alice Vieira, que tem como voz Joaquim José, um jovem lisboeta de 14 anos em 1910. A obra consiste num diário deste filho de pai republicano, neto de avó monárquica e aluno de um dos homens que mataram D. Carlos e D. Filipe. Os seus registos vão culminar no 5 de outubro, dia da Implantação da República.


Achámos um chapéu

Achámos um Chapéu

Jon Klassen

O volume que encerra a célebre trilogia de Jon Klassen premiada com a Caldecott Medal (em 2013) e com a Kate Greenway Medal (em 2014) foi um dos finalistas dos Prémios Goodreads 2016 na categoria de livros infantis. Depois de um urso e de um peixe, agora são duas tartarugas que acham um chapéu e se veem perante um dilema: ambas querem o chapéu, ambas ficam bem com ele, então qual delas sairá vencedora?


Mana

Mana

Joana Estrela

Distinguido nos Prémios Nacionais de Banda Desenhada 2016 pela ilustração da portuguesa Joana Estrela, este livro surge repleto de rabiscos, mordidelas e rastos de destruição provocados por uma irmã mais nova. É, em poucas palavras, o retrato de um “drama clássico” entre irmãs.


O meu irmão invisível

O Meu Irmão Invisível

Ana Pez

E depois de uma irmã… eis que chega um irmão. Esta obra premiada no AmadoraBD 2016 devido à ilustração da espanhola Ana Pez conta a história de um menino que, convencido da sua invisibilidade, passa os dias escondido numa caixa de cartão, onde consegue ver coisas que os outros não conseguem. Os leitores, guiados pela narração do seu irmão mais velho, precisam de colocar uns óculos mágicos para conseguirem ver o jovem invisível.


Todos eles viram um gato

Todos Eles Viram Um Gato

Brendan Wenzel

O mesmo gato aparece nas várias páginas. No entanto, a sua figura muda dependendo de quem o vê – uma criança, um cão, uma raposa, um pássaro, entre outros. O ilustrador Brendan Wenzel aguça a curiosidade e o sentido de observação dos pequenos leitores, induzindo uma reflexão sobre as várias formas de olhar o mundo. E a estratégia parece ter resultado, já que o livro foi um dos finalistas dos Prémios Goodreads 2016.


Por: Carolina Morais

Gostou? Partilhe este artigo: