4 3 2 1… Paul Auster termina o jejum

paul-auster-revista-estante-fnac

4 3 2 1

 


Um livro para…
Quem muitas vezes dá por si a pensar “e se?”.

Primeira frase
“Reza a lenda familiar que o avô de Ferguson partiu a pé da sua cidade natal de Minsk com cem rublos escondidos no forro do casaco, viajou para ocidente até Hamburgo, via Varsóvia e Berlim, e depois comprou passagem num navio chamado The Empress of China, que atravessou o Atlântico sob duras tempestades de inverno e entrou no Porto de Nova Iorque no primeiro dia do século XX”

Se gostaste deste livro,
é provável que também gostes de…
Vida Após Vida (Kate Atkinson)
As Primeiras Quinze Vidas de Harry August (Claire North)
Duas Vidas (Jessica Thompson)

Sete anos após Sunset Park, Paul Auster lança um novo desafio aos leitores: acompanhar o mesmo homem em quatro percursos de vida paralelos. Eis 4 3 2 1.

Quem seríamos hoje se tivéssemos tomado decisões diferentes? Poderíamos ser mais ricos, ter outros amigos, empregos e motivações? E o acaso, que papel desempenha na nossa vida? O novo livro de Paul Auster faz este mesmo exercício com um personagem fictício. Dá que pensar.

O livro

Um homem. Quatro vidas paralelas. Archibald Isaac Ferguson chegou ao mundo a 3 de março de 1947 – curiosamente, um mês depois do autor do livro – para se deparar com quatro possíveis rumos de vida. Cada um deles, moldado pelo acaso e pelas escolhas, oferece-nos um protagonista com distintas capacidades cognitivas, artísticas e atléticas, com diferentes vidas sociais e sexuais, paixões, interesses e angústias. Paul Auster explora cada uma dessas encarnações de Ferguson ao longo de 872 (absorventes) páginas.

O autor

Com milhões de livros vendidos em todo o mundo – em Portugal, mais de 220 mil exemplares, segundo a editora Asa -, Paul Auster já publicou dezenas de obras que variam entre ficção, poesia, argumentos para cinema, ensaios ou memórias.

O autor de No País das Últimas Coisas, Relatório do Interior, Palácio da Lua e Mr. Vertigo é membro das Academias Norte-Americanas de Artes e Letras e de Artes e Ciências e já mereceu várias distinções internacionais, entre elas o prémio NYC Literary Honor for Fiction (em 2012) e o grau de Comendador da Ordem das Artes e das Letras de França (em 2007).

O gancho

Há sete anos que Paul Auster não tinha um romance novo nas livrarias. Esta obra é agora lançada a tempo de assinalar o 70.º aniversário do escritor norte-americano – a 3 de fevereiro – e ainda as três décadas de vida de Squeeze Play, o seu primeiro romance.

Gostou? Partilhe este artigo: