Do sol algarvio à espionagem lisboeta

 


Um livro para…
Leitores que gostam de romances de mistério. Amantes de ficção histórica. Apaixonados por Portugal e pela história deste país.

Primeira frase
“Alguns minutos de descuido e o menino desapareceu.”

Se gostaste deste livro, é provável que também gostes de…
Nas Asas do Tempo (Diana Gabaldon)
O Último Cabalista de Lisboa (Richard Zimler)
Um Novo Amanhã (Dorothy Koomson)
Último Acto em Lisboa (Robert Wilson)

No blogue The Styland
“Quando peguei no 300 Dias de Sol, pensei que ia ler um romance parvo na praia e acabei envolvida num policial onde há mistério, crimes, uma pitada de romance e – txan txan txan – é um livro passado em Portugal, mais precisamente em Faro. ”
Lê a crítica completa aqui.

Em 300 Dias de Sol, Deborah Lawrenson mistura o melhor de dois mundos: a calma de um verão soalheiro e o mistério da Segunda Guerra Mundial.

Não é novidade que quem passa por Portugal se apaixona pelo nosso país. As paisagens, a gastronomia e a História do nosso povo já serviram de inspiração a muitos escritores e artistas. Desta vez é o Algarve que ganha destaque num romance duplo. Duas eras diferentes. A história de duas gerações que se cruzam num só país.

O livro

300 Dias de Sol divide-se entre as belas praias algarvias e o rebuliço da capital portuguesa. Joanna Milard é uma jornalista que, para fugir a uma relação falhada, decide viajar para Portugal. Depois de conhecer Nathan Emberlin, embrenha-se numa investigação sobre o desaparecimento de uma criança naquela região, duas décadas antes. As pesquisas levam-na a uma história ainda mais remota: a história da Lisboa do início do século XX, onde a espionagem europeia assume um papel central no decorrer da Segunda Guerra Mundial. Ao acompanhar a vida de um casal desta época, Joanna descobre segredos e mistérios que fundem o passado e o presente de Portugal.

A autora

Deborah Lawrenson nasceu em Londres, em 1960. Uma grande parte da sua infância foi passada em viagens pelo mundo. A sua paixão pelas culturas de países como Kuwait, China, Singapura ou Portugal está bem visível nos livros que escreve. Depois de estudar Inglês na Universidade de Cambridge, trabalhou como jornalista num semanário londrino e noutras publicações nacionais. Além deste livro, é autora de romances como The Art of Falling, Songs of Blue and Gold, The Sea Garden e The Lantern.

O gancho

Não são assim tantos os livros escritos por autores estrangeiros que tenham como pano de fundo as paisagens portuguesas. Neste livro, Deborah Lawrenson descreve-nos o nosso país de uma maneira apaixonada e despretensiosa. É uma forma de olharmos o que é nosso sob um prisma diferente. Assumindo-se claramente uma turista, a autora transmite de forma consistente as tradições, a História e o modo de vida português.


Por: Andreia Vaz

Gostou? Partilhe este artigo: