2016: O ano da morte do Plano Nacional de Leitura?

Criado em 2006 com o objetivo de impulsionar a literacia em Portugal, principalmente dos mais pequenos, o Plano Nacional de Leitura (PNL) terminará em 2016, tal como foi inicialmente estabelecido. De momento, ainda não há previsão de que o programa seja para continuar, embora em 2006, aquando da sua criação com o alto patrocínio da Presidência da República, na resolução de Conselho de Ministros se pudesse ler que o PNL é “uma resposta institucional à preocupação pelos níveis de literacia da população em geral e em particular dos jovens, significativamente inferiores à média europeia”.

Em jeito de conclusão, numa conferência do PNL, que teve lugar na Gulbenkian, o diretor-geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, Silvestre Lacerda, disse que, em Portugal, publicam-se anualmente 13.500 novos títulos, ou seja “1,5 livros a cada hora”. Há sete anos foram publicados 17.331 livros novos.

Gostou? Partilhe este artigo: