10 livros que vão pôr os miúdos a ler

livros-miudos-ler-estante-fnac

Competir com smartphones e videojogos não é tarefa fácil para os livros. Mas os mais novos que se deixam conquistar pelo fantástico mundo da leitura cedo descobrem que este em nada se compara à artificialidade das novas tecnologias.


vai-tudo-abaixo

Vai Tudo Abaixo

Jeff Kinney

O teu filho ainda não ganhou o hábito de ler? Talvez o que qualquer criança precisa é de encontrar o livro ou autor certo. Esse autor pode muito bem ser Jeff Kinney. A sua famosa série O Diário de Um Banana já vendeu mais de 200 milhões de livros e é um autêntico fenómeno capaz de pôr as crianças a ler. O novo volume com as aventuras de Greg Heffley, Vai Tudo Abaixo, promete-nos uma épica batalha de neve numa altura em que a escola do personagem encerra temporariamente.


grindelwald

Os Crimes de Grindelwald

J. K. Rowling

Uma opção muito popular para tornar uma criança leitora é a saga Harry Potter. E se ela já conhece a história do jovem feiticeiro de uma ponta à outra, então sugerimos o spin-off da série Monstros Fantásticos, particularmente o livro do novo filme: Os Crimes de Grindelwald. Trata-se de um guião – o filme estreia já em novembro – que o vai reaproximar do mágico mundo de Hogwarts através do personagem Newt Scamander. E, se quiseres ajudá-lo a estudar inglês no processo, também podes optar pela edição no idioma original.


marcelo

Marcelo, o Presidente

Joana M. Lopes

Se autores bestseller não são um chamariz suficiente para pôr uma criança a ler, talvez histórias de pessoas reais lhe despertem a curiosidade. O que fazia o Presidente da República quando era criança? De certeza que o teu filho conhece o “presidente das selfies“, mas Marcelo, o Presidente não é apenas isso. É um livro ilustrado, com 42 páginas, que pode muito bem fazer parte do momento de leitura em conjunto que os pediatras recomendam para miúdos e graúdos. Lembra-te: no mínimo 15 minutos por dia.


portuguesas

Portuguesa Extraordinárias

Maria do Rosário Pedreira

E não é só Marcelo Rebelo de Sousa que pode servir de inspiração. Aliás, não é preciso seres Presidente da República para que escrevam um livro sobre ti. Maria do Rosário Pedreira baseou-se, por exemplo, na primeia mulher a votar em Portugal ou na primeira portuguesa a rodar um filme de ficção para escrever Portuguesas Extraordinárias. Um livro ilustrado com histórias de mulheres pioneiras em Portugal, desde Catarina de Bragança a Maria de Lourdes Pintasilgo.


m-grande

Portuguesas com M Grande

Lúcia Vicente

Por falar em mulheres extraordinárias, numa altura em que o girl power está em alta, estranho seria se esta temática não tivesse inspirado outras tantas mulheres a escrever. Lúcia Vicente foi uma delas. Portuguesas com M Grande conta os feitos de mais de 40 mulheres, porque descobrir a história de Portugal é também conhecer Luísa Todi, Florbela Espanca e a Padeira de Aljubarrota. Não deixa, contudo, de ser tanto um livro para raparigas como para rapazes.


pai-sarilho

Pai Sarilho

David Walliams

Escrever sobre factos reais é uma técnica para atrair leitores. Mas ainda bem que nem todos os autores encontram inspiração em eventos verídicos. Seria preocupante em livros como Pai Sarilho onde os papéis se invertem: o filho é quem tem de cuidar do pai para se certificar que não se mete em problemas, algo que normalmente um pai faria pelo filho. Um livro muito divertido, ou não fosse David Walliams o autor, que promete alegrar o dia de qualquer criança.


aqui-estamos-nos

Aqui Estamos Nós

Oliver Jeffers

Ser pai muda a vida de qualquer pessoa. Foi essa nova função na vida de Jeffers Olivers que o levou a escrever este livro. Quando chegou a casa da maternidade, apresentou a cozinha ao recém-nascido. Mas a sua maior preocupação era explicar-lhe o mundo. E não apenas o que é o planeta Terra, mas também as diferentes pessoas que o habitam. Desde duas noivas ao lado de uma mulher vestida com uma burca a um lutador no meio de uma freira e um punk. Por algum motivo, venceu o Prémio Design Book Awards 2018.


estranhao

O Estranhão: Como Sobreviver à Família

Álvaro Magalhães

A história de Fred, um miúdo com um QI acima da média e com um sentido de humor pouco característico para a idade, já vai no oitavo livro. Apenas sete meses depois de ter sido publicado o volume anterior, o “estranhão” tem agora de lidar com uma prima que é ao mesmo tempo bloggeryoutuber, tudo o que ele mais gosta! Mas tomara que este fosse o seu único problema. O que pode ser tão complicado na vida de um rapaz de 11 anos? Talvez a explicação esteja no título do próprio livro.


fabulas

O Capuchinho Vermelho

Irmãos Grimm

Uma nova abordagem ao conto de O Capuchinho Vermelho. Os mais novos podem espreitar por entre as árvores da floresta ou pela janela da casa da avozinha, graças aos recortes de Nadia Fabris e Matteo Gaule. Uma história com mais de 200 anos que ainda hoje é reinventada. Este tipo de contos curtos são ideais para as crianças que ainda têm alguma relutância em pegar nos livros. Mas cuidado com a sombra… o lobo mau está sempre à espreita!


hero-academia

 

My Hero Academia

Kohei Horikoshi

Diretamente do Japão, o primeiro volume desta série de manga chega a Portugal. A história nasceu em 2014 e segue Izuku Midoriya, um rapaz sem poderes num mundo onde os super-heróis formam 80% da população. Ser diferente torna-o um alvo fácil para outros colegas de escola, só que Izuku começa a ser acompanhado pelo maior herói do mundo que o inscreve numa escola para heróis em formação. E o maior sonho do personagem torna-se real. 


stars

Stars: As Estrelas Mais Brilhantes

Anna Todd

Uma história para eternos apaixonados. Sobre amor e sobre guerra. Depois de o marido de Anna Todd ter regressado da terceira missão no Iraque com stresse pós-traumático, escrever As Estrelas Mais Brilhantes foi “uma espécie de terapia” para a autora. O livro conta a história de um primeiro amor conturbado. Os traumas da guerra do Afeganistão irão estar sempre no meio da relação? Com nove livros publicados, este é o mais pessoal da autora e o primeiro volume de uma nova série literária.


Por: Tatiana Trilho

Gostou? Partilhe este artigo: